JORNAIS ANTERIORES

Dezembro 2018 / Número 25

Dezembro 2017 / Número 24

Setembro 2017 / Número 23

Novembro 2014 / Número 22

Setembro 2014 / Número 21

Fevereiro 2014 / Número 20

Agosto 2013 / Número 19

Junho 2013 / Número 18

Fevereiro 2013 / Número 17

Setembro 2012 / Número 16

Junho 2012 / Número 15

Outubro 2011 / Número 14 / ESPECIAL 10º ANIVERSÁRIO

Março 2005 / Número 01



Junho 2012 / Número 15

Comitê anônimo da fase Final da Seleção Geral Sacatar 2012-2013, © 2012, Alex Esquivel


NÚMERO RECORDE DE INSCRIÇÕES!

MAIS DE 800 ARTISTAS INSCRITOS NA SELEÇÃO GERAL SACATAR 2012-2013

 

Quatro meses e meio. Esse foi o tempo necessário para o Instituto Sacatar receber o número recorde de inscrições em seus 10 anos de programa internacional de residência artística. Chegamos a um número recorde de 804 candidaturas, vindas de mais de 60 países de seis continentes diferentes. Pela primeira vez as inscrições foram feitas online, através do portal Artsapp.com. Foram aproximadamente doze meses de intenso trabalho para que a Seleção Geral 2012-2013 fosse realizada com sucesso.

As várias fases que superamos para, enfim, colocarmos o portal de inscrições no ar envolveram longas conversas entre Taylor Van Horne, Diretor Executivo do Instituto Sacatar, eu e representantes do ArtsApp apenas para que fosse feita a página de inscrições e para o bom entendimento de como funcionava o sistema. Todo este tempo para a elaboração do portal foi fundamental para implementarmos o sistema que nos ajudou muito para minimizar todo o trabalho que tínhamos até a Seleção de 2009 no arquivamento de todo o material recebido.

Somente inscrições finalizadas até 16 de janeiro de 2012 foram aceitas. Após o fim do período de inscrições nós iniciamos a fase de pré-seleção, na qual as amostras de trabalho de todos os candidatos foram avaliadas por 44 jurados de diversas partes do mundo. Aproximadamente 13% dos candidatos avançaram para a fase final da seleção, que foi realizada pela primeira vez em São Paulo nos dias 03 e 04 de março de 2012. Uma experiência marcante não somente pelo ineditismo da Seleção ser em outro estado brasileiro, mas também por ser a minha primeira viagem de avião!!!

Durante os cinco dias em que Mitch Loch, Presidente da Sacatar Foundation, Taylor e eu estivemos hospedados no Regent Park Hotel, muito trabalho foi feito para que a fase final da seleção ocorresse de forma perfeita. Nas horas vagas o que fazíamos? Turismo… É claro! Conduzido por “guias” de muito bom-gosto, visitei galerias, pontos turísticos e saboreei deliciosas refeições em alguns dos muitos restaurantes de São Paulo. Ainda tive tempo para, sozinho, aventurar na famosa noite de Sampa… Nada mais foi preciso para tornar esta experiência inesquecível!

Voltando ao que interessa, posso dizer que esta foi a mais bem organizada e executada seleção da qual eu participei desde minha chegada ao Sacatar. Após dois dias de avaliação dos candidatos, 42 artistas foram encaminhados pelo comitê de seleção final à fase de entrevistas. Outros 15 escritores foram avaliados pelo comitê literário e também foram entrevistados. O resultado final do processo seletivo foi anunciado oficialmente no mês de abril de 2012. Cerca de 35 artistas serão premiados com residências de oito semanas no Sacatar até o final de 2014.

E como não queremos perder tempo, os primeiros Fellows selecionados já estão chegando! De 18 de junho até 13 de agosto de 2012 dois dos artistas premiados se juntarão a outros três Fellows na sede do Sacatar em Itaparica, Bahia, para uma sessão de oito semanas de residência.

Parabéns aos futuros Fellows do Sacatar e sejam BEM-VINDOS à rica e mágica Bahia de Todos os Santos!!!




UNESCO/ASCHBERG BURSARY FOR ARTISTS PROGRAMME

 

Assim como a Seleção Geral Sacatar 2012-2013, o UNESCO/Aschberg Bursary for Artists Programme recebeu número recorde de inscrições. Em apenas dois meses, o Instituto Sacatar viu mais de 200 artistas visuais, músicos/compositores e escritores entre 25-35 anos de mais de 40 países se candidatarem a um dos três Fellowships oferecidos em parceria com a UNESCO/Aschberg para o ano de 2012.  (As bolsas da UNESCO/Aschberg são restritas a jovens artistas não oriundos da Europa Ocidental nem das Américas.)

A Sacatar Foundation –instituição norte-americana sem fins lucrativos que mantém o programa internacional de residência artística do Instituto Sacatar– reuniu o comitê de avaliação da seleção UNESCO/Aschberg Bursary for Artists Programme na cidade de Berkeley, Califórnia, EUA, para indicar os candidatos finalistas. Os finalistas tiveram suas inscrições encaminhadas para o escritório da UNESCO/Aschberg, em Paris, França, onde foi realizada a fase final da seleção. Três artistas –de Botswanda, do Afeganistão e da Croácia– foram premiados com residências para o Sacatar e vieram a Itaparica já na primeira sessão de 2012. Esta foi a primeira vez que recebemos artistas destes países.



KTPAF – KOREAN TRADITIONAL PERFORMING ARTS FOUNDATION

 

Neste ano o Sacatar pôs em prática uma inédita parceria com a Korean Traditional Performing Artists Foundation – KTPAF, através da qual pudemos recepcionar 08 artistas sul-coreanos, que alternaram-se, em grupos de 04, durante a sessão de 02 de Abril a 28 de Maio. Os oito artistas pertencem aos grupos “The Gwangdae” e “R.ecnad”. Durante a estada os coreanos tiveram a oportunidade de fazer aulas de Capoeira, Frevo, Percussão e Dança tradicional do Candomblé. Além dessas aulas os coreanos puderam apresentar-se no festival internacional VIVADANÇA, bem como no Teatro Miguel Santana, na Oficina de Artes de Itaparica e no Grupo Cultural Bagunçaço, em Salvador.


 

SESSÃO DE ABRIL / MAIO: OS PRIMEIROS FELLOWS DE 2012

 

fellows

Primeiros residentes de 2012: Gwangdae, R.ecnad, Kitso Lelliott, Mustafa Kia e Maja Klaric, © 2012, Augusto Albuquerque


A sessão inaugural do ano de 2012 teve início no dia 02 de abril. O grupo de residentes foi formado por artistas selecionados através de parcerias do Instituto Sacatar com a KTPAF – Korean Traditional Performing Arts Foundation e com a UNESCO/Achberg, esta última uma instituição parceira do Sacatar já há muitos anos.

KITSO LELLIOTT (BOTSWANA) pesquisou temas, lugares, espaços e vestígios que unem África e Bahia e trabalhou em um vídeo experimental. Durante sua passagem pela Bahia, A Fellow projetou seu curta-metragem: O Paletó e debateu sobre suas técnicas de trabalho –assim como sobre a temática de seus filmes– no Espaço Xisto Bahia, na TV Pelourinho e na Oficina de Artes de Itaparica.

Embaixador da Croácia no Brasil visita o Sacatar,© 2012, Augusto Albuquerque

 

MAJA KLARIC (CROÁCIA) escreveu sobre a cultura brasileira e sobre suas impressões acerca desta cultura e de suas experiências durante a sua estada em Itaparica. Ao longo da sessão, Maja realizou diversas pequenas intervenções poéticas na Casa Grande e realizou recitais de poesia no Sacatar, na Oficina de Artes de Itaparica e no Café e Galeria de Arte Visca Sabor & Arte, no bairro do Rio Vermelho, Salvador.

Durante a estada de Maja, recebemos a visita de Drago Stambuk, escritor e Embaixador da Croácia no Brasil. O Sr. Stambuk passou um dia em nossa sede na ilha de Itaparica, onde ele pôde provar as delícias de nossa mestre cuca, Márcia, conhecer de perto nosso programa de residência, bater um papo com nossos Fellows e assistir a uma performance do grupo coreano R.ecnad.

 

MUSTAFA KIA (AFEGANISTÃO) trabalhou em um vídeo com temática voltada para a desigualdade de sexo no Brasil, com enfoque na violência sofrida pela mulher. O vídeo foi projetado durante o evento O SACATAR VISITA A OFICINA, na Oficina de Artes de Itaparica.

Durante sua residência, o Fellow também projetou seus filmes e participou de debates no Espaço Xisto Bahia, na TV Pelourinho e no interior da Bahia.

THE GWANGDAE (CORÉIA DO SUL) enviou os artistas Kim Seo Jin, Ahn Dae Cheon, Heo Chang Yeol e Seon Young Uk ao Sacatar por quatro semanas através da parceria com a KTPAF. Os Fellows aproveitaram a estada em Itaparica para aprender mais sobre a cultura local, de forma a inserir um pouco da Bahia em futuras performances do grupo.

Durante a residência, os quatro membros do Gwangdae tiveram aulas de percussão tradicional do Camdomblé, ritmos e danças do Candomblé e também de Capoeira. Os Fellows fizeram também duas apresentações no Teatro Miguel Santana para alunos do Projeto Axé e para os alunos do Balé Folclórico da Bahia, além de terem feito uma performance ao ar-livre no Festival VIVADANÇA.

GRUPO R.ECNAD (CORÉIA DO SUL) enviou os Fellows Minho Choi, Lee Sang Yun, Jun Inchul e Kang Si Nae à Bahia em substituição aos Fellows do Gwangdae, também graças à parceria com o KTPAF. Os artistas permaneceram no Sacatar também por quatro semanas e aproveitaram para refletir na produção do grupo. Durante a estada na Bahia, dois dos membros do R.ecnad se apresentaram para uma platéia de crianças no Grupo Cultural Bagunçaço. Eles realizaram também uma performance na Oficina de Artes de Itaparica e uma apresentação especial para o Embaixador da Croácia no Brasil, durante sua visita ao Sacatar.

… recordar é viver:


SESSÃO DE JUNHO / JULHO DE 2011

ALICE MICELI (BRASIL) veio à Bahia com a intenção de explorar a paisagem natural e social de Itaparica. Um dos trabalhos que a artista desenvolveu durante sua residência no Sacatar envolveu um grupo de estudantes de uma escola local de ensino fundamental. Alice convidou as crianças para passar um dia no Sacatar e aproveitou a oportunidade para tirar várias fotos, que serviriam de base para seu próximo filme de animação.

FELIPE LARA (BRASIL>USA) veio a Itaparica para dar continuidade a uma encomenda feita pela OSESP – Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Foi este seu foco durante toda a residência. Segundo o compositor, foi possível adiantar bastante a peça já que “oito semanas de trabalho no Sacatar foram equivalentes a seis meses de trabalho” na cidade onde ele mora, perto de New York City.

Antes e depois: garoto de Itaparica fotografado por Gerald durante suas duas passagens pelo Sacatar, © 2011, Gerald Cyrus

 

GERALD CYRUS (EUA) foi um dos primeiros Fellows do Sacatar e voltou a Itaparica para continuar o trabalho realizado em sua primeira passagem pela Bahia, além de registrar a vibração e o fluxo cultural local e tirar fotos na rua. O artista realizou um trabalho fotográfico comparando Salvador e Itaparica e pessoas das duas cidades como eram quando ele esteve no Sacatar em 2002 e como elas são agora.


Lucimar durante oficina de desenhar para crianças de Itaparica, © 2011, Alex Esquivel

LUCIMAR BELLO
 (BRASIL) veio a Itaparica após receber o Prêmio Sacatar na Bienal do recôncavo 2010. Durante a residência, a artista realizou diversos workshops, por ela chamados de “Oficinas Desenhantes”, com a participação da população local. Ao todo foram cinco oficinas destinadas a crianças, adolescentes, pescadores e senhoras. Como resultado deste trabalho, foi montada uma exposição fotográfica na Biblioteca Juracy Magalhães Jr., em Itaparica. Lucimar realizou ainda uma performance em Itaparica, uma palestra em Feira de Santana – BA e uma oficina/palestra no MAM – Museu de Arte Moderna da Bahia – sobre o trabalho desenvolvido no Sacatar.

MAGGIE SMITH (EUA) veio ao Sacatar para retornar aos princípios básicos de sua arte. Durante a residência ela se dedicou ao estudo e ao desenho de pássaros na sede do Sacatar, além de ter trabalhado em esculturas feitas a partir do barro vermelho encontrado no vilarejo de Maragogipinho. Generosamente a Fellow concordou em criar a fonte que será instalada em nosso futuro estúdio de Literatura. A cerâmica que será utilizada na fonte foi produzida pela artista em Maragogipinho. Obrigado, Maggie!

MARI OGIHARA (JAPAN > EUA) dedicou a maior parte de sua residência para aprender novas técnicas para a confecção de cerâmica. A Fellow também pesquisou rituais afro-brasileiros de ex-votos, buscou inspiração nos rituais religiosos / espirituais locais e utilizou materiais locais –em especial o barro vermelho de Maragogipinho– para o desenvolvimento de sua arte.


SESSÃO DE AGOSTO / SETEMBRO DE 2011

ASH BULAYEV (UCRÂNIA) e NANCY STAMATOPOULOU (GRÉCIA) pretendiam trabalhar em um guia multimídia da ilha de Itaparica durante o período de residência. Após fracassar na abordagem à comunidade local, Ash decidiu criar um guia mais pessoal de Itaparica. Nancy resolveu trilhar outro caminho, criando uma instalação com a temática centrada na escravidão e na extração da cana-de-açúcar.

Fotografia tirada durante residência no Sacatar, © 2011, Damien Schumann

DAMIEN SCHUMANN (ÁFRICA DO SUL) veio ao Sacatar através da parceria com o Africa Centre. Ele ficou intrigado com a noção de uma comunidade que sobrevive em uma cidade que depende em parte do turismo e que tem uma temporada de alta estação muito breve, tirando fotografias intrigantes da população local –donos de lojas, vendedores ambulantes, donos de restaurantes– durante o período de baixa estação.

Margriet e seu vestido de baiana durante a residência no Sacatar, © 2011, Damien Schumann

MARGRIET WESTERHOF (HOLANDA) montou um vestido de baiana com garrafas plásticas inspirado nas fantasias de baiana do Centro Histórico de Salvador. Turistas costumam ficar atrás de tais fantasias para tirar fotos como se estivessem vestidos de baiana. Dentro das garrafas Margriet colocou desenhos contando uma estória criada durante a residência. O resultado final foi uma performance/intervenção pública apresentada durante o Dia de Estúdo Aberto da sessão de agosto de 2011. A Fellow hesitou um pouco em pedir a membros da comunidade para posar para fotos atrás do vestido, pois não sabia como eles reagiriam. A idéia dela, com certeza, não era insultar ninguém.

PARISA KARIMI (ALEMANHA) aproveitou a estada em Itaparica para visitar várias localidades da ilha, envolver-se com pessoas comuns desses lugares, participando de cerimônias de Candomblé e festas populares como a do Sr. da Vera Cruz na comunidade de pescadores do Baiacu. Durante a residência a Fellow começou a trabalhar em uma performance e em um curta-metragem. Ao final da residência Parisa fez uma instalação Site Specific em seu estúdio, resumindo as nuances da sua experiência baiana.

PATRIK LERCHMULLER (FRANÇA) durante a residência no Sacatar aprendeu Português e combinou –em suas composições– a poesia barroca de Gregório de Mattos, a música eletrônica e a linguagem tradicional rítmica da Bahia e seus instrumentos.

SESSÃO DE OUTUBRO / DEZEMBRO DE 2011

Vitral instalado na Casa grande doado por Joseph Cavalieri ao Sacatar, © 2011, Alex Esquivel

JOSEPH CAVALIERI (EUA) realizou oficinas para vidraceiros e outros membros da comunidade, passando a sua técnica para a criação de vitrais. As oficinas foram ministradas no Sacatar e no espaço de trabalho de um dos vidraceiros. Ao final da residência, Joseph deixou de presente para o Sacatar dois vitrais instalados em janelas da Casa Grande. Obrigado, Joseph!

KARLIEN DE VILLIERS (ÁFRICA DO SUL) ouviu mães de diversas idades e gravou histórias, contos populares e cantigas de ninar, mergulhando assim em um trabalho que envolvia a criação de uma série de estórias contadas através de desenhos e pinturas que eram baseadas nas gravações que ela fez.

Tela de Rik Freeman em homenagem a Maria Felipa doada ao Sacatar, © 2011, Alex Esquivel

RIK FREEMAN (EUA) demonstrou grande interesse pelos traços africanos da cultura baiana, especialmente o samba, o samba de roda e o candomblé. Foram estas as fontes de inspiração do Fellow durante sua passagem por Itaparica. Rik pintou diversas telas, inclusive uma em homenagem a Maria Felipa, a grande heroína local na luta pela independência. Esta pintura foi doada ao Sacatar. Ao retornar aos EUA, o Fellow começou a preparar um mural sobre a independência em Itaparica, destacando a heroína negra como protagonista do episódio. Este mural será doado à biblioteca Juracy Magalhães Jr, em Itaparica.

RITA STASHULIONAK (BIELORÚSSIA) pintou, durante a residência artística no Sacatar, pequenos painéis em têmpera sobre madeira, técnica tradicional de seu país, mas utilizando como temática o novo mundo de cores que encontrou ao seu redor.

SEAN CAWELTI (EUA) utilizou as oito semanas de residência no Sacatar para escrever uma peça com base na história original de Pinóquio e para criar marionetes em madeira com a colaboração de Tiquinho, um talentoso escultor de Itaparica. O Fellow viajou para Cachoeira para apreciar as fantasias exóticas da Festa d’Ajuda; conheceu Lençóis; fez aulas de capoeira; e visitou museus, galerias, cinemas e teatros de Salvador. As montagens baianas de obras famosas também despertaram bastante o seu interesse.

VERED SIVAN (ISRAEL) veio ao Sacatar com a idéia de descobrir novas matérias-primas para desenvolver seu trabalho. Então, ela passou a coletar fibras secas de coqueiro e de palmeiras e criou belas peças –como um espartilho feito à base da fibra de folhas secas– e instalações, que puderam ser vistas pela comunidade durante o Open Studio Day do grupo.

REFORMA NA CASA GRANDE

Novo telhado da Casa Grande, © 2012, Augusto Albuquerque

Visando oferecer um maior conforto aos seus Fellows, em dezembro de 2011, o Instituto Sacatar decidiu dar seguimento às melhorias em sua estrutura física. Iniciou-se, então, a substituição total do telhado da Casa Grande, a casa dos Fellows no Sacatar. Enquanto o telhado era trocado, descobrimos as terríveis condições da antiga instalação elétrica do local. Tivemos que trocar toda a fiação e pintar as paredes internas da Casa Grande. A obra foi concluída em janeiro de 2012 e o resultado… Ah, só vendo com seus próprios olhos!

BOAS-VINDAS

O novo vigia Regi e seu filho Bruno, © 2012, Augusto Albuquerque

Reginaldo Lima Roque ou apenas Regi… É o nome pelo qual atende o mais novo integrante da equipe que garante a segurança do instituto Sacatar. É apenas sua segunda experiência como vigia, mas Regi demonstra a firmeza de um veterano ao afirmar que está preparado para qualquer emergência durante seus plantões. “A equipe toda tem que estar preparada, senão não haveria muitos trabalhando aqui há tantos anos.”, afirma Regi.

Toda essa certeza e vontade de dar o seu melhor talvez tenha uma explicação: o nascimento de seu primeiro filho há um ano, pouco antes de entrar no Sacatar. Certamente isso fez com que Reginaldo valorizasse mais do que nunca a possibilidade de trabalhar no Instituto. Não era mais o momento para viver de bicos, como fizera na Marina de Itaparica… Regi queria a certeza de um futuro digno para sua família, por isso desabafou e chorou muito de felicidade ao receber a notícia de que havia sido escolhido para a vaga no Sacatar. A partir daquele dia ele sabia que estava garantido um futuro mais seguro para seu filhinho e para o Instituto Sacatar, afinal vale a pena se doar por ambos.

Regi afirma que em pouco tempo já guarda grandes lembranças, momentos como quando ele ajudou as Fellows Parisa Karimi e Nancy Stamatopoulou a conhecerem um pouco mais sobre o Candomblé. Ele as apresentou a sua avó, uma mãe de santo muito respeitada na ilha de Itaparica. Regi as levou para assistir a uma festa no terreiro dela. “Gosto muito do Candomblé

e pretendo, em breve, me confirmar como Aledê.”, confessa o vigia, que já toca atabaque nas festas do terreiro da avó.

Regi também se anima ao falar de nosso fila brasileiro Jossã, que segundo ele é importante para a segurança dos Fellows e da propriedade porque “somente o tamanho dele intimida alguém que queira entrar no Sacatar”. E a relação do cachorro com os artistas é algo importantíssimo para ele. Sempre que possível ele procura ajudar os residentes a estabelecer um laço de amizade e de confiança com Jossã. Logo, se vê que a importância de um vigia também está em ser esse elo que facilita a ambientação dos Fellows com tudo o que diz respeito ao Sacatar e com a cultura de Itaparica em si.

E ele não está satisfeito ainda, quer ter mais e mais tempo para conhecer e ajudar novos Fellows e para cada vez mais se integrar a uma equipe de funcionários que, segundo ele, é maravilhosa. “Aqui todos se ajudam, todo mundo é gente boa!”, garante o vigia. E aos futuros residentes, ele manda um recado:

“Venham para o Sacatar com o coração aberto, pois vocês vão conhecer um dos lugares mais lindos de Itaparica!”

Falou e disse, Regi!!!

ATÉ LOGO

Seu José, agora, ex-jardineiro do Sacatar, © 2011, Alex Esquivel

Certamente a maioria esmagadora dos ex-residentes vai se lembrar da figura afável que vemos na foto acima… Trata-se de Seu José! O texto que escrevemos neste espaço é para falar desse homem que viu o nascimento do Sacatar, presenciou as diversas fases do Instituto até então e, no início de 2012, decidiu finalmente descansar as mãos calejadas de muito trabalho, pendurar as luvas e a tesoura de jardinagem.

Todo ciclo um dia chega ao fim e Seu José entendeu que era hora de se aposentar, após décadas de muita labuta. Somente no Sacatar já eram mais de 10 anos não somente cuidando do jardim, mas também trazendo paz e alegria a cada um dos funcionários e Fellows. 

Muito obrigado por tudo, Seu José!!!

NOTÍCIAS DOS FELLOWS

A seguir uma pequena lista com notícias sobre algumas exposições, publicações e alguns prêmios atuais e vindouros de nossos ex-Fellows. Lamentamos não poder incluir todas as novidades que recebemos dos ex-Fellows, mas estejam certos de que adoramos receber notícias de nossos artistas. Então, não parem de nos enviar as boas-novas.  As conquistas de todos aqueles que gostam do Sacatar sempre nos interessam. Continuem mantendo contato!

ANDREIA PINTO-CORREIA (Portugal, 2006) estreará uma nova composição sua na orquestra de Berkeley, com regência de Joana Carneiro, na quinta-feira, 7 de Fevereiro de 2013, em Berkeley, Califórnia, EUA. A peça foi encomendada pela orquestra de Berkeley e pela orquestra Gulbenkian em Lisboa. Refletindo a mesma herança cultural de Carneiro, a obra de Andreia se inspira nos bairros carismáticos de Lisboa onde se tocam os fados tradicionais portugueses. A estreia europeia, também sob a batuta da maestra Carneiro, será realizada em Lisboa em Abril de 2013.

Trabalho de Carlos Estévez em exposição na Lyle O. Reitzel Gallery, © 2012, Carlos Estévez

CARLOS ESTÉVEZ (Cuba, 2003) estará em exposição pela segunda vez na República Dominicana na galeria de arte contemporânea Lyle O. Reitzel Gallery a partir de 21 de junho de 2012 às 20h, desta vez com com seu trabalho Diluvios Íntimos.

Terceira edição do livro The Pocket Paper Engineer, © 2012, Carol Barton

CAROL BARTON (EUA, 2001) anuncia a publicação do terceiro volume de seu livro The Pocket Paper Engineer, um projeto que ela iniciou durante a sua residência no Sacatar. Os três livros mostram como fazer livros em pop-up. Este último volume mostra a avançada técnica V-Fold e as suas variações. Para maiores detalhes e para encomendar o livro basta acessar:

www.popularkinetics.com

Capa do segundo livro da ex-Fellow Cheryl Strayed,© 2012, Cheryl Strayed

CHERYL STRAYED (EUA, 2003) terminou o seu primeiro livro, Torch, durante a sua residência no Sacatar. O seu segundo livro, Wild, tem ocupado o topo da lista dos best-sellers nos Estados Unidos já faz alguns meses. Wild conta a aventura que a artista viveu ao caminhar do México ao Canadá, seguindo a trilha chamada Pacific Crest Trail pelas montanhas do oeste americano. Curiosamente, a trilha passa pelo remoto vilarejo de Kennedy Meadows, onde nasceu a Fundação Sacatar em 2000.

Mapa do vilarejo norte-americano onde nasceu a Fundação Sacatar, © 2012

‘Fils et Filles des Dieux’ no Festival Chroniques Nomades, © 2012, Dany Leriche e Jean-Mcihel Fickinger

DANY LERICHE e JEAN-MICHEL FICKINGER (França, 2009) expuseram as suas fotos do trabalhoFils et Filles des Dieux –tiradas durante a estada na Bahia– em Reims, França, de 14 de abril a 31 de maio de 2012, como parte do Festival Chroniques Nomades.

DAVID POZNANTER (USA, 2008) atualmente trabalha como “personal trainer e treinador de artes circenses do maior astro do cinema Indiano… Foi feito um contrato de 18 meses com Aamir, antes e durante a filmagem do filme Dhoom 3, no qual ele fará o papel de um acrobata de circo, que também será o vilão da trama…” Segundo David, “É mito estranho treinar alguém que, para muitas pessoas, é mais famoso do que Brad Pitt, Tom Cruise e Hugh Jackman juntos”.

Foto que compõe a exposição “See Through Us”, © 2012, Diana Blok

DIANA BLOK (Holanda, 2003) inaugurará no dia 21 de junho a exposição das fotos audaciosas do sub-mundo gay da Turquia, See Through Us, no Sanatorium Art Space em Istanbul, Turquia. É a segunda vez que Diana tenta montar a exposição em Istanbul.  A exposição já foi cancelada uma vez por causa do teor das fotos e da violência ainda praticada contra os gays e lésbicas na Turquia.

FELIPE PEREIRA BARROS (Brasil, 2011) obteve o segundo lugar no Festival Vivo Arte.mov, o maior festival de video-arte no Brasil. Ele criou o vídeo premiado, Não confie a ninguém o seu segredo, durante a sua residência artística na Bahia.  Para assistir ao vídeo, é só acessar:

http://www.youtube.com/watch?v=_QJ8chltS10&feature=youtu.be

FRENCHMOTTERSHEAD: REBECCA FRENCH e ANDREW MOTTERSHEAD (Reino Unido, 2008) estarão em Viena e depois em Gloucestershire para apresentar seu novo trabalho, Understory, 1-12, encomendado pelo Festival Up to Nature:

http://www.facebook.com/UpToNature

Haverá três experiências Site Specific interativas, criadas em colaboração com especialistas locais, que levam os participantes a explorar ativamente as suas ligações com as florestas. Entre 16 e 17 de junho, na floresta ao redor de Viena, Understory, 1-3 oferecerá aos participantes uma exploração do relacionamento entre os seres humanos e a natureza, uma trilha de Botânica sensorial e jogos físicos baseados nas vidas de animais ungulados selvagens: veados e javalis.

http://www.brut-wien.at/programm/detail/792/en/

Em 30 de junho, no Woodchester Park, Understory, 4-6 oferecerá aos participantes a possibilidade de subir na copa das árvores, afundar as mãos no chão em decomposição da floresta e fazer a pergunta “que marca nós deixaremos nas árvores para o futuro?”

http://inbetweentime.co.uk/up-to-nature/about-utn

Nos dias 25 e 26 de agosto, Understory, 7-9 acontecerá fora de Oslo.

www.blackbox.no

De 28 até 30 de Setembro, Understory,10-12 estará no Festival ANTI em Kuopio.

www.antifestival.com

JANE INGRAM ALLEN (EUA, 2002) mora em Taiwan desde 2004, quando ela foi para a ilha como bolsista da Fulbright.  Pelo terceiro ano consecutivo, ela é a curadora do Cheng Long Wetlands International Environmental Art Project, um festival de esculturas e instalações efêmeras no vilarejo de Cheng Long, no sudoeste de Taiwan. Cheng Long é uma área pobre onde uma boa parte da terra tem se tornado demasiadamente salgada para a plantação. O governo local fez deste pântano uma reserva ecológica, o que resultou na proliferação de pássaros, peixes e outra fauna nativa.  As instalações ocupam a reserva como também áreas públicas no pequeno vilarejo de 500 habitantes.  As instalações permanecerão até o final do ano no local.

No meio do ano, Jane também vai oferecer um workshop sobre a produção de papel a partir de plantas locais no Sitka Center for Art & Ecology em Otis, Oregon, EUA. Maiores informações no sitewww.sitkacenter.org.

KIRSTIN CAPP (EUA, 2004) estará com a exposição de seu trabalho Horse Latitude –do dia 4 até 28 de junho de 2012– na FNCC Gallery, em Windhoek, Namíbia. Horse Latitude é um trabalho em andamento Kristin Capp começou a fotografar no início de 2011. É composto de fotografias de diferentes regiões da Namíbia e é uma tapeçaria de imagens em preto e branco reunidas em uma narrativa emocional.

LAURIE LYONS (EUA, 2008) informa que a editora Stewart, Tabori & Chang lança o livroInspiration: Profiles of Black Women Changing our World, escrito por Crystal McCrary, no qual podemos encontrar também as fotografias feitas pela Fellow.

LUCIMAR BELLO (Brasil, 2011) apresentou, em março, o seu trabalho Coisas a Fazer na Galeria de Arte do Espaço Cultural do Mercado Municipal em Uberlândia, Minas Gerais, Brasil. Esta exposição é um desdobramento do trabalho que ela realizou durante a sua residência no Sacatar.

MARGRIET WESTERHOF (Holanda, 2011) conta sobre a sua residência no Sacatar no artigo que ela escreveu para a Transartists, um dos melhores sites de pesquisa de residências internacionais para artistas:

http://www.transartists.org/article/two-months-magic-instituto-sacatar-margriet-westerhof

MICHAEL LOWENTHAL (EUA, 2008) terá o livro que ele escreveu em parte durante a sua residência no Sacatar –The Paternity Test– lançado pela editora Terrace Books em setembro de 2012.

“Tantas relações distintas se interagem no provocante romance de Michael Lowenthal—não somente o relacionamento que é o foco do livro entre dois homens homossexuais e a brasileira que gera seu filho, mas também os relacionamentos entre esposos, entre irmãos, entre pais idosos e seus filhos adultos.  The Paternity Test conta uma história complexa, intrigante e emocionalmente muito gratificante.”—Tom Perrotta, autor de The Leftovers and Little Children.

Crocheted Excavators, © 2012, Olek

OLEK (Polônia, 2009) terá seu trabalho Crocheted Excavators em exposição na Flanders Gallery de Raleigh, North Carolina, EUA, de 1° de junho a 21 de julho. Para ter uma idéia deste trabalho, vale a pena acessar o vídeo abaixo, que mostra a produção de Crocheted Excavators realizada durante o Katowice Street Art Festival:

http://vimeo.com/41613945

Pinturas com inspiração nos tempos de residência no Sacatar, © 2012, Rita Stashulionak

RITA STASHULIONAK (Bielorrússia, 2011) exibiu as suas pinturas sobre gesso, claramente inspiradas em sua residência na Bahia, na Trondhjems Kunstforening Gallery em Trondheim, Noruega, de 15 de abril a 20 de maio de 2012.

SEAN CAWELTI (EUA, 2011) estará em cartaz com a peça D is for Dog, uma salada de ficção científica, kitsch da década de 50 e filmes de terror, realizada pela companhia de teatro, a Rogue Artists Ensemble, do qual ele é diretor e fundador. O elenco original se apresenta outra vez, após a indicação de Melhor Comédia pelo LA Weekly e após levar o prêmio Ovation como Melhor Designer de marionetes. A peça pode ser vista entre 08 e 23 de junho no Hudson Theater em Hollywood, Califórnia, EUA, como parte do festival Hollywood Fringe.

SOLANGE LIMA (Brasil>França, 2005) realizará a terceira edição de FESTIT – Festival Cultural de Rua da Ilha de Itaparica – nos dias 19 e 20 de Janeiro de 2013. Para vocês que perderam as últimas edições, que pena! Solange agita uma galera enorme na realização deste belíssimo evento. Para provar um pouquinho do gosto do FESTIT 2, acesse o vídeo:

http://youtu.be/PzK6qHJPrgA

Solange vestindo o traje de baiana criado por Margriet Westerhof,© 2012, Taylor Van Horne

Na 2ª edição do FESTIT, em 2012, a fantasia de baiana da Fellow MARGRIET WESTERHOF –fabricada a partir de garrafas plásticas encontradas na praia– fez a sua última aparição.  Na foto vemos Solange encarnando uma baiana. Depois do festival, esta fantasia foi reciclada e hoje é um galinheiro na ilha de Itaparica.

Para colaborar com a realização da próxima edição, é só procurar Solange através do email:solangelima@hotmail.com. Você não se arrependerá!

Convite para exposição “Jardins Intériuers’, © 2012, Sophie Lecomte

SOPHIE LECOMTE (France, 2004) inaugurou a sua exposição individual, Jardins Intérieurs, no dia 22 de Maio na Médiathèque Georges Sand em Palaiseau, França, onde permanece em cartaz até o dia 9 de junho.

STACEY STEERS (EUA, 2006) Night Hunter, o filme de animação que Stacey iniciou durante a sua residência no Sacatar, teve a sua estréia européia no International Film Festival de Rotterdam em janeiro deste ano. Em seguida, a instalação Night Hunter House, acompanhada pelo filme e uma seleção dos ‘collages’ que o criou, foi vista no Jordan Schnitzer Museum of Art na University of Oregon, em Eugene, Oregon, EUA, em abril e maio deste ano.

VIGA GORDILHO (Brasil, 2004) foi convidada a integrar a Academia de Ciências da Bahia. Em decorrência desta honra e do vencimento de seu mandato, Viga pediu o desligamento do Conselho Curador do Instituto Sacatar, cargo que ela exerceu durante seis anos. O Sacatar agradece a Viga pelo seu caloroso apoio!

YOKO INOUE (Japão>EUA, 2011) ganhou uma bolsa para passar seis meses na Cité des Arts em Paris, França, patrocinada pela prefeitura de Paris e o Lower Manhattan Cultural Council de New York. Ela já está lá em Paris e ficará até o final do mês de outubro.