JORNAIS ANTERIORES

Dezembro 2018 / Número 25

Dezembro 2017 / Número 24

Setembro 2017 / Número 23

Novembro 2014 / Número 22

Setembro 2014 / Número 21

Fevereiro 2014 / Número 20

Agosto 2013 / Número 19

Junho 2013 / Número 18

Fevereiro 2013 / Número 17

Setembro 2012 / Número 16

Junho 2012 / Número 15

Outubro 2011 / Número 14 / ESPECIAL 10º ANIVERSÁRIO

Março 2005 / Número 01



Fevereiro 2014 / Número 20

‘The Egun That Saved Florida’ © 2013, Mark Steven Greenfield

 

 

 

 

 

 

 

 

PARCEIROS TRAZEM RESIDENTES EM 2014


ARTISTAS VIRÃO À BAHIA COM A AJUDA DE INSTITUIÇÕES LOCAIS E INTERNACIONAIS


Estão abertas vagas para artistas BRASILEIROS e AFRICANOS através de determinadas parcerias. Acessem a página INSCRIÇÃO para saber como concorrer a uma residência no Sacatar. Abaixo, veja algumas parcerias que já confirmaram (ou irão confirmar em breve) residentes para 2014.

 

3ª BIENAL DA BAHIA

 

O Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA) será o anfitrião da 3ª Bienal da Bahia, 46 anos após a sua última edição, que na época foi fechada imediatamente pela ditadura. A Bienal será o principal evento cultural da Copa do Mundo. Estamos orgulhosos de anunciar uma parceria estratégica com o MAM-BA, através da qual artistas e curadores virão à Bahia durante os dois meses anteriores à Bienal, que será inaugurada no dia 29 de maio e se encerrará no 7 de setembro. Os artistas convidados irão preparar instalações site-specific na região metropolitana e os curadores irão fornecer comentários e análise crítica sobre o desenvolvimento da própria Bienal.  Atualmente confirmados são Omar Salomão, Charbel Boutros, Eustáquio Neves, Giselle Beiguelman, Bitu Cassundé, Ícaro Lira e Lisette Lagnado. A Bienal anunciará outros participantes em breve.

 

SACATAR / CULTURAL EXCHANGE INTERNATIONAL FELLOWSHIP

Em parceria com o ‘Department of Cultural Affairs of the Municipality of Los Angeles’ (que pode ser traduzido como ‘Secretaria Municipal de Cultura do Município de Los Angeles’), o Sacatar oferece anualmente um ‘Cultural Exchange International Fellowship’ (Residência de Intercâmbio Cultural Internacional) a um artista de qualquer disciplina residente no condado de Los Angeles, EUA. A fotógrafa Karolina Karlic (EUA) foi premiada em 2013 com uma residência para 2014. Seu trabalho fotográfico mais recente documenta a decadência da indústria automobilística americana, onde seu pai imigrante trabalhou por muitos anos. Como uma extensão deste corpo de trabalho, Karolina pretende investigar o colapso da indústria da borracha brasileira associado aos primeiros anos do automóvel. Além de visitar a ‘Fordlândia’, plantação de borracha de Henry Ford na Amazônia, ela vai documentar a plantação de borracha e também parque ecológico mantido pela Michelin no sul da Bahia, a três horas de distância do Sacatar. Este ano será definido o residente de 2015.

ASSOCIAÇÃO CULTURAL VIDEOBRASIL


Em parceria com a Associação Cultural VideoBrasil, SESC, São Paulo, o Sacatar concederá um Fellowship em 2014 ao vídeo artista Bakary Diallo (Mali). Ele foi selecionado durante o 18° Festival de Arte Contemporânea SESC_VideoBrasil (2013). Seus filmes tem sido apresentados em mostras como a Bienal de Arte Africana Contemporânea, Dak’Art, Dakar (2012); l’Afrique en mouvement, Montreal (2012); 9ª Bienal Africana de Fotografia, Bamako (2011) e 20ª Semana de Cinema Experimental de Madri (2010). Bakary frequentou o Le Fresnoy – Estúdio Nacional de Artes Contemporâneas (2010). Para ver trechos de sua surpreendente produção, basta assistir a este ‘trailer’ da VideoBrasil: https://vimeo.com/84624281 senha: vbnatv

MAIS PARCERIAS

Além dos Fellowships concedidos em parceria com a Bienal da Bahia, o Los Angeles Department of Cultural Affairs e a Videobrasil, o Sacatar realizou três processos seletivos restritos no final do ano passado:

  1. Dance-UP: para dançarinos e coreógrafos residentes nos EUA. Recebemos 80 candidaturas vindas de 147 dançarinos e coreógrafos. Dentre estas inscrições, o Sacatar selecionou quatro dançarinos para sessões de residência até o final de 2014. Um Fellowship adicional (ou mais de um) pode ser concedido em 2015.
  2. Fundação Bienal do Mercosul. Foram concedidas duas residências para artistas participantes da 9ª Bienal do Mercosul | Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, através do programa Bienal do Mercosul Residência Artística no Sacatar. Recebemos 20 candidaturas dentre os 61 artistas participantes da Bienal. Os premiados são Romy Pocztaruk (Fotógrafa / Brasil) e Anthony Arrobo (Artista Visual / Equador).
  3. UNESCO-Aschberg: três residências anuais são oferecidas para jovens artistas nascidos e residentes em países não situados na Europa Ocidental nem nas Américas nas seguintes disciplinas: Artes Visuais, Literatura e Composição Musical. Em 2013 recebemos 113 inscrições. Indicamos nove artistas à UNESCO-Achberg, em Paris, que premiou os seguintes artistas: Lina El-Mounzer (Literatura / Líbano), Liutauras Janusaitis (Composição Musical / Lituânia) e Mário Macilau (Artes Visuais / Moçambique). Eles virão para a sessão de 13 de outubro até 08 de dezembro de 2014.

 

Gostaríamos de agradecer aos nossos parceiros institucionais, em 2014:

  • Africa Centre / Cidade do Cabo, África do Sul
  • Bienal da Bahia, Museu de Arte Moderna da Bahia / Salvador, Bahia, Brazil em parceria com a Fundação Hansen Bahia / Cachoeira, Bahia, Brasil
  • Bienal do Mercosul / Porto Alegre, Brasil
  • CCSP, Centro Cultural São Paulo / São Paulo, Brasil
  • Dance-UP / Filadélfia, Pensilvânia, EUA
  • FUNCEB, Fundação Cultural do Estado da Bahia / Salvador, Bahia, Brasil
  • Los Angeles Department of Cultural Affairs /  Los Angeles, Califórnia, EUA
  • UNESCO-Aschberg Bursary Programme / Paris, França
  • VideoBrasil / São Paulo, Brasil

Para ver a lista de artistas premiados em 2014 através destas parcerias, clique em DOAÇÕES E PARCERIAS.

QUANDO SERÁ A PRÓXIMA SELEÇÃO GERAL  DO SACATAR, SEM RESTRIÇÃO POR IDADE, NACIONALIDADE E DISCIPLINA?

Muitos artistas tem feito esta pergunta recentemente. A verdade é que estamos com a “casa cheia” até o final de 2014 e não temos previsão de quando anunciaremos as datas de inscrição para o próximo processo seletivo geral. Entretanto, é certo que até o final deste ano teremos alguma definição. No momento estamos traçando planos e estabelecendo parcerias estratégicas para 2015. 

 



NOSSOS FELLOWS MAIS RECENTES


Veja abaixo os residentes das últimas duas sessões de 2013. Clique nos nomes dos artistas para abrir suas páginas ALUMNI. Nelas você poderá ler os comentários de cada um deles sobre as suas experiências na Bahia e verá um pouquinho do que produziram durante as suas sessões de residência.

 

FELLOWS DE AGOSTO / SETEMBRO DE 2013


Os Fellows da sessão de Agosto / Setembro de 2013

 

FELLOWS DE OUTUBRO / DEZEMBRO DE 2013


Os Fellows da sessão de Outubro / Dezembro de 2013

 



NOTÍCIAS DE NOSSOS FELLOWS


Segue uma pequena amostra da diversidade de atividades desenvolvidas pelos artistas que já passaram pelo Sacatar, que inclui alguns projetos iniciados durante as suas residências. Lamentamos não poder publicar todas as notícias, mas gostamos de saber das novidades de nossos ex-Fellows. Não deixem de manter contato! Clique no nome dos residentes abaixo para acessar suas páginas ALUMNI em nosso site, onde você encontrará depoimentos sobre as suas experiências no Sacatar. 

CHERYL STRAYED (EUA, 2003) terminou o seu primeiro romance durante a residência no Sacatar. Seu segundo livro Wild, também lançado no Brasil em Português (Livre), foi adaptado para o cinema em um filme que será lançado em 2015 com Reese Witherspoon no papel principal. O filme se baseia no best-seller de memórias de Cheryl, que conta sua aventura ao caminhar do México ao Canadá, seguindo a trilha conhecida como Pacific Crest Trail nas montanhas do oeste americano. Coincidentemente, boa parte da narrativa se passa em Kennedy Meadows, Califórnia, situado no coração da Reserva Ecológica do Sacatar, de onde surgiu o nome do Instituto.

DAGMAR BINDER (Alemanha, 2009) estará em uma residência artística na cidade de Cochabamba, Bolívia, onde ela pretende colaborar com um grupo de mulheres de uma vila que trabalha com produção de lã. Dagmar pretende aprender o processso atual delas  e ensinar-lhes  técnicas de feltragem, levando-as a conhecer uma outra forma de trabalhar com a lã e, talvez, ajudando-as a criar novos produtos para vender.

 

 

DANIEL GWIRTZMAN (EUA, 2003 & 2013) celebra o 15° aniversário da Daniel Gwirtzman Dance Company com 15 eventos em 15 semanas. Cinco destes eventos ‘virtuais’ são trabalhos criados por Danny durante sua mais recente residência no Sacatar. A celebração culminará com performances ao vivo no Fishman Space da BAM, a Brooklyn Academy of Music, Nova Iorque, EUA, de 30 de maio a 1º de junho de 2014. Abaixo segue uma lista com as datas das projeções dos filmes de dança feitos durante a mais recente passagem pelo Brasil. Clique no link a seguir para acessar a programação completa de eventos: http://gwirtzmandance.org/schedule/.

23 de março:   ChegadaChegada marca o retorno da Gwirtzman a solo brasileiro depois de exatamente dez anos. A paisagem natural fértil fornece o pano de fundo desta reunião íntima neste tributo à beleza da Bahia.

30 de março:   PierA perfeita simbiose de elementos:  um dia claro durante a estação de chuva pesada, com boa luz durante a maré alta. Na Bahia as surpresas são abundantes e quando os elementos conspiraram a favor foi possível realizar um trabalho em equipe.

6 de abril:   Into The StreetsCom sagacidade, vontade enorme e um elenco de brasileiros, Gwirtzman lidera os entusiasmados colaboradores, literalmente, pelas ruas de Salvador. Um filme feito em momento marcado por manifestações históricas, este filme é uma resposta pacífica para os levantes violentos, que contém o manifesto que a dança é para todos.

13 de abril:   Crab WorldÉ o mundo de um caranguejo. Com inspiração no número ilimitado de caranguejos encontrados na praia, Gwirtzman imagina a vida da perspectiva de um caranguejo. Uma meditação abstrata da natureza. Com direção do ex-funcionário do Sacatar, atualmente graduado em cinema, Rafael Carvalho.

20 de abril:   Rock The BoatDança clássica, improvisação e hip-hop misturam-se em um piquenique de delícias quando a obsessão de um marinheiro pela dança anima uma série de barcos vazios.

DIANA BLOK (Uruguai > Holanda, 2003) acabou de voltar de uma viagem de 12 dias a Curaçao, onde ela foi convidada a trabalhar em um projeto chamado Freedom through Generations, uma iniciativa da galeria Alma Blou, a única da ilha. “Foi muito interessante fotografar objetos, memórias dos nativos e outras coisas referentes ao período de escravidão”, afirma a Fellow. Diana está agora em Brasília trabalhando em um projeto intitulado Eu Te Desafio a Me Amar, uma iniciativa do INESC em parceria com a Embaixada da Holanda no Brasil e UNwomen, que será lançado em maio de 2014 no Museu Nacional de Brasília e em Bela Mare no Rio de Janeiro. Por meio de fotografias e vídeos, a artista propõe estimular um debate sobre ‘a fluidez  do desejo e da liberdade de identidade sexual no Brasil.’  Assista ao teaser do projeto no link a seguir: http://vimeo.com/79034975.

 

GARY POZNER (EUA, 2009) se tornou professor de música em tempo integral na Escola Internacional das Nações Unidas. Recentemente, ele compôs a trilha sonora para seu trigésimo filme, um documentário de Robert Kuhn intitulado Birth of the Living Dead. George Romero dirigiuNight of the Living Dead, um clássico de terror. O documentário de Kuhn coloca este filme de renome mundial em seu contexto histórico, com imagens de arquivo dos horrores da Guerra do Vietnã e das insurreições raciais nos Estados Unidos, combinadas à música icônica dos anos 1960 e novas músicas compostas por Gary.

 

 

GERALD CYRUS (EUA, 2002 & 2011) anuncia a publicação de seu novo livro, Portrait of Camdem in Photographs 2001-2008.

“Sendo um fotógrafo da Filadélfia, Gerald Cyrus fez o que muitos moradores e turistas da Filadélfia costumam fazer: pegou a rodovia Interstate 676 e cruzou a ponte Benjamin Franklin (de propriedade da Delaware Port Authority) para atravessar o rio Delaware e chegar até Camden County, Nova Jersey… No entanto, ele fez algo que poucas dessas pessoas fazem, que foi parar na cidade de Camden e andar por vários de seus bairros desde a beira do rio até o centro da cidade… Este compromisso com as pessoas e os espaços da cidade, que começou em 2001 e perdurou até 2008, resultou em um retrato composto em preto e branco desta pequena cidade pós-industrial da costa leste americana”.- trecho retirado da introdução escrita por William E. Williams

Para maiores informações, acesse: http://www.blurb.com/b/4695490-gerald-cyrus#about-book

 

GIOVANA DANTAS (Brasil, 2007 & 2010) desenvolveu a vídeoinstalação Insustentável Levezadurante sua mais recente passagem pelo Sacatar. A exposição resultante deste trabalho, que já passou por Salvador e São Paulo, pode ser vista até o dia 09 de fevereiro no Centro Cultural Caixa, em Recife, Pernambuco. Um dos vídeos apresenta JAMIE DIAMOND (EUA, 2010), que jamais sonhou que tantas pessoas iriam vê-la flutuando nas águas da Baía de Todos os Santos trajada com um vestido de noiva. Para ver as imagens da exposição, acesse www.giovanadantas.com. Giovana fala sobre suas experiências no Sacatar em gravação feita para o programa de televisão Soterópolis:  http://www.youtube.com/watch?v=ENrKgsA_rWk

JANE INGRAM ALLEN (EUA, 2002) estará em Taiwan entre 05 de março e 02 de junho para mais uma vez coordenar o Cheng Long Wetlands Project. Ela concluiu recentemente uma residência de três meses no Sitka Center for Art & Ecology, na cidade de Otis, Oregon, EUA, onde DAWN STETZEL (EUA, 2007) é membro da equipe como técnica de estúdio. Fotos de suas realizações e um relato de suas experiências em Sitka podem ser encontrados em sua página na internet:http://janeingramallen.wordpress.com.

 

LAVONNE MUELLER (EUA, 2006) anuncia a publicação de seu romance, The Patient Ecstasy of Fraulein Braun, pela editora Opus Books. “No Sacatar eu pude pesquisar bastante, além de escrever os cinco primeiros capítulos deste livro. Na verdade, é incrível o quanto eu produzi durante minha residência. Além dos capítulos iniciais do livro, escrevi ainda duas peças de teatro e algumas poesias”, afirma a ex-Fellow.

 

MAJA KLARIC (Croácia, 2012) escreveu em 28 de janeiro:“Em sequência à publicação do meu livro de poesia Quinta Pitanga, escrito enquanto estava em Itaparica, fui convidada a apresentá-lo (não somente o livro, mas a residência, o Instituto Sacatar, a viagem para o Brasil…) ontem na televisão nacional croata… Entretanto está em croata e vocês provavelmente não entenderão muito, exceto Itaparica, Ilha dos Frades e alguns nomes…”

 

MARCOS ZACARIADES (Brasil > Taipei Artist Village, 2007) tem uma exposição individual na Caixa Cultural de Salvador, com abertura em 8 de março de 2014 às 19h. A exposição ficará aberta à visitação de 19 de março a 11 de maio de 2014, das 09h às 17h de terça a domingo. Dada a frequência com a qual o ex-Fellow realiza exposições nas Caixas Culturais, muitas vezes não se tem a noção exata da dificuldade que é conseguir um espaço na pauta destes centros culturais.

 

MARISTELA RIBEIRO (Brasil, 2007) está trabalhando em um projeto, com financiamento do Banco do Nordeste, chamado Casas do Sertão. Maristela conheceu KAREN OSTROM (Canadá > EUA, 2013), que estava em residência no Sacatar, e imediatamente incluiu uma de suas obras em uma exposição no Museu de Arte Contemporânea, em Feira de Santana, Bahia: um vídeo projetado na abertura da exposição. Logo depois, Maristela convidou Karen para participar do projeto Casas do Sertão, que leva intervenções de arte contemporânea a comunidades carentes ​​do interior. Karen visitou uma destas comunidades, Morrinho, e em duas semanas fez um vídeo curta-metragem de animação em resposta a sua visita à aldeia. Esse curta-metragem foi projetado ao lado da igreja de Morrinho em 02 de janeiro de 2014. Como trilha sonora, as rãs de Itaparica. Clique no link a seguir para assistir ao vídeo As Estrelas de Morrinho: https://vimeo.com/84279910.

 

MARK STEVEN GREENFIELD (EUA, 2013) em breve deixará de ser diretor interino do Los Angeles Contemporary Exhibitions (LACE). O Conselho Diretor do LACE anunciou a nomeação de Sarah Russin como seu próximo Diretor Executivo, a partir de 24 de fevereiro de 2014. Ao mesmo tempo, Mark se prepara para uma retrospectiva de seu trabalho no California African-American Museum (CAAM), em Los Angeles, EUA, prevista para setembro de 2014. A imagem de abertura desta edição do Jornal Sacatar traz um detalhe da obra The Egun That Saved Florida, realizada em consequência de sua residência no Sacatar.

 

MATT SHERIDAN (EUA, 2012) retorna à Bahia em abril de 2014. Com financiamento da SECULT – Secretaria de Cultura da Bahia – o ex-Fellow apresentará o trabalho Contours of Belief (Contornos de Crença), uma animação multi-canal a partir de pinturas em movimento que explora o “estruturalismo espiritualizado” único de Salvador. A instalação deverá ser realizada no dia 26 de abril em local público a ser anunciado e contará com três projeções sincronizadas de vídeo em três fachadas arquitetônicas e no entorno. Matt trabalha em colaboração com Andrea May (Ateliê Coletivo VISIO.), Juninho Costa e Ana Paula Bringel nesta instalação-animação abstrata, tentando entender como o Candomblé re-constrói as rotas de tráfego em toda a Salvador, uma cidade em grande parte sem mapas. Recentemente, Matt também instalou um novo trabalho no Chateau de la Napoule, França, e criou um vídeo de pinturas em movimento para o show e para a turnê mundial da cantora Gala.

 

PADMA VISWANATHAN (Canadá, 2003) anuncia a publicação de seu segundo romance, The Ever After of Ashwin Rao, no Canadá e na Índia. Com data de lançamento prevista para março de 2014, o site de compras Amazon.com declara: “De Padma Viswanathan, escritora aclamada internacionalmente por receber o título New Face of Fiction. Uma narrativa deslumbrante sobre as famílias daqueles que perderam entes queridos no bombardeiro aéreo da Índia em 1985, registrando as reverberações inesperadas desta tragédia na vida de seus sobreviventes. The Ever After of Ashwin Rao mostra que políticas de violência, originadas na América do Norte, são ignoradas por nossa conta e risco.”

 

PARISA KARIMI (Alemanha, 2011) relata “minhas memórias ainda estão muito frescas, como se fosse ontem. A energia que eu trouxe comigo de Itaparica inspirou, renovou o meu estilo de trabalho. Foi uma das melhores coisas que aconteceram comigo enquanto artista. Este ano eu produzi um espetáculo solo chamado SAFAR que foi exibido em festivais internacionais. Trata-se de uma peça teatral multimídia de 55min. de duração que nasceu no Sacatar. No ano que vem eu quero levar esse show ao Brasil, onde as primeiras ideias surgiram.” www.parisakarimi.de

 

PINAR YOLACAN (Turquia, 2006) está de volta a Itaparica após terminar uma sessão de residência na FAAP, em São Paulo. Ela tem planos de trabalhar com modelos locais e continuar sua mais recente série fotográfica, iniciada em São Paulo, onde ela trabalhou com modelos plus size que são passistas de escolas de samba paulistas.

 

REYNOLD REYNOLDS (EUA, 2006) atualmente é residente da American Academy, em Roma, Itália. Para ver um pouco de seu mais recente trabalho multicanal, The Lost, acesse:https://vimeo.com/album/2628278. A senha é: thelost7channels 

 

 

SCOTT WALLACE (EUA, 2013): Em novembro de  2013, seu livro The Unconquered: In Search of the Amazon’s Last Uncontacted Tribes foi publicado em Português com o título Além da Conquista.  Após sua residência no Sacatar no ano passado, Scott seguiu para Marabá, Pará. Esta viagem resultou no artigo In the Blood Jungle, que aparece na edição de fevereiro de 2014 da revista Smithsonian Magazine.

 

   

SHELLEY MILLER (Canadá, 2004) teve seus trabalhos apresentados nos seguintes livros:

  • The Popular History of Graffiti: From the Ancient World to the Present, por Fiona McDonald, Skyhorse Publishing, 2013
  • Creaticity: Creative Expression in Contemporary Cities, por Poch e Poch, Conceito e compilação por Kognitif.Varios Publishing, 2013

 

Recentemente, ela realizou uma exposição de seu trabalho (que tem influência dos azulejos portugueses do Brasil colonial) em Waterloo, Austrália. As fotos acima ilustram o trabalho que foi criado para a exposição coletiva Sugar, Sugar, no Brenda May Gallery. Esta exposição foi composta apenas por artistas do sexo feminino que trabalham com açúcar. O mural é feito com azulejos de açúcar pintados à mão e retrata o comércio de mão-de-obra escrava vigente entre ilhas do Pacífico Sul e o continente australiano, onde os nativos de tais ilhas eram obrigados a trabalhar nos campos de cana-de-açúcar. O mural ficou instalado na fachada da galeria durante o mês de outubro de 2013. 

 


SOLANGE LIMA (Brasil > França, 2005) está de volta à Bahia com seu marido e Nara, sua filha de um ano de idade, para organizar a 4ª edição do FESTIT – Festival Cultural de Rua de Itaparica.  Este festival anual de palhaços, acrobatas e outros artistas performáticos de todo o mundo alegrará novamente o Mercado Municipal de Itaparica entre os dias 14 e 16 de março de 2014.

 

 

STACEY STEERS (EUA, 2006): O curta-metragem de animação e também instalação que Stacey começou a trabalhar durante a residência no Sacatar, Night Hunter, continua suas viagens pelos EUA. Atualmente a vídeo-instalação encontra-se em exposição no Boise Art Museum, em Idaho, EUA, até 08 de junho de 2014. A artista é residente do programa Creative Capital, que fornece apoio financeiro e outras facilidades a artistas inovadores e criativos dos EUA. Ao mesmo tempo ela trabalha em seu próximo filme de animação, que expande a linguagem visual desenvolvida por ela no Sacatar. 

 

     

 

VIGA GORDILHO (Brasil, 2004) lançou recentemente dois livros. BTS em retalhos, que integra o projeto “BTS” – Baía de Todos os Santos – registra as atividades de ensino, pesquisa e extensão, desenvolvidas durante o período de 2007 a 2013 junto a cinco comunidades da Baía de Todos os Santos, Bahia, organizado pela ex-Fellow, em parceria com o grupo de pesquisa MAMETO CNPq – MAtéria, MEmória e conceiTO em poéticas visuais contemporâneas – da Universidade Federal da Bahia (UFBA). A capa do livro traz o píer do Sacatar com uma amostra do trabalho comunitário desenvolvido durante o projeto. O segundo livro, O Vestido Fuxiqueiro, é um livro infantil diretamente inspirado no trabalho que ela começou no Sacatar e nas artesãs com quem trabalhou nas comunidades do entorno. O livro conta a história da criação de um vestido feito de fuxicos.

 

WALMOR CORREIA (Brasil, 2007) recebeu recentemente a prestigiosa bolsa Smithsonian Artist Research Fellowship. Walmor é um dos 13 artistas a receber esta honraria em 2014. Ele estará em Washington, DC, EUA, de 24 de fevereiro até 03 de abril de 2014.

 

 

YOKO INOUE (Japão > EUA, 2011) estará com o seu trabalho, Mandala Flea Market Mutants, em exposição até 27 de Julho de 2014 no Krannert Art Museum na University of Illinois, Champaign / Urbana. Do catálogo: “Inoue apresenta uma instalação de cerâmica que transforma a galeria em um labirinto de objetos, expostos como em estandes de vendas similares às encontradas em feiras tradicionais japonesas. Ela está interessada no processo de assimilação cultural e seu efeito sobre o valor e a forma de objetos, enquanto o seu simbolismo os transforma em algo novo. Inoue investiga como símbolos culturais adquirem um novo significado, diferente do seu contexto original, quando absorvidos e distribuídos dentro de um novo contexto.”

 



NOTÍCIA DE ÚLTIMA HORA

 


‘La Trinca’ (The Holy Trio) © 2010, Edgar Clement

 

Embora não seja uma ex-Fellow do Sacatar, SABRINA GLEDHILL tem se notabilizado por ser, desde 2009, um membro bastante ativo do Conselho Diretor do Instituto. Ela contribuiu para a futura exposição, Sinful Saints and Saintly Sinners at the Margins of the Americas, que acontecerá de 29 de março até 20 de julho de 2014 no Fowler Museum, UCLA, em Los Angeles, Califórnia, EUA. Sabrina ajudou a organizar a parte brasileira da exposição, com foco em Zé Pelintra, contribuindo para o catálogo do evento com um ensaio sobre Zé Pelintra e a ‘malandragem’.

 



O SACATAR NA CACHOEIRA DA PANCADA GRANDE

 

 

O Sacatar traz artistas de todo o mundo para Itaparica, Bahia. Entretanto, a maioria dos nossos funcionários viaja muito pouco, seja para outras cidades da Bahia ou para fora do estado. Quase todo ano nós premiamos um funcionário com uma viagem a algum lugar no Brasil: Rio de Janeiro, São Paulo ou a maravilha natural das Cataratas de Foz do Iguaçu. Este ano, decidimos levar a equipe toda, além de suas famílias, a uma reserva natural extraordinária, praticamente desconhecida aqui na Bahia: a Cachoeira da Pancada Grande. Ao final de sua residência, o FellowMARK STEVEN GREENFIELD (EUA, 2013) deixou para a equipe uma gorjeta muito generosa e, cordialmente, aprovou nossa sugestão de usá-la para fazer uma viagem com todos os funcionários para a cachoeira. Saímos de Itaparica, em um ônibus alugado, às oito da manhã de 1° de fevereiro. Edson, um dos nossos vigias, levou um tamborim e sugeriu que levássemos um timbal e um pandeiro da coleção Sacatar. Logo na saída do ônibus, o samba começou e não parou nem por um minuto durante as três horas da viagem de Itaparica até Pancada Grande. Augusto, nosso Gerente Geral, tornou-se o Mestre de Cerimônias, recorrendo ao seu enorme repertório de cantigas. Todos aplaudiam e dançavam durante todo o caminho.

 

    

 

Entramos no estacionamento do parque ecológico e na mesma hora começou a cair uma garoa. Descemos do ônibus e andamos sob a chuva que caía, mas foi apenas questão de minutos para que um sol glorioso rompesse o céu e espalhasse as nuvens. Todos foram pegos de surpresa com a beleza do lugar, uma imagem universal do Jardim do Éden. E isso foi antes mesmo de chegarmos até a catarata. Pancada Grande é uma cachoeira perfeita para uma excursão. O caminho leva à base da imponente queda d’água, onde há uma plácida piscina com fundo de areia e menos de um metro de profundidade. Mais além da piscina, a corrente forte do rio esculpe um canal mais profundo para os nadadores mais fortes. À beira da piscina, há uma borda que facilita a entrada em um chuveiro, cuja força é tão grande que mais parece que são pequenas pedras caindo em sua cabeça, ao invés de água. Nossa cozinheira Márcia encarnou uma exuberante Oxum, sentada em uma rocha embaixo do chuveiro, usando seus óculos escuros como uma Lolita muito madura. Por lá ela ficou por pelo menos uma hora. Todos caminhamos para o topo das cataratas, onde uma bela trilha segue o rio, adentrando a fecundidade da Mata Atlântica. Na reserva natural há ainda um cais, que se estende até o rio, na base da cachoeira. Eis que, no meio da tarde, todos os homens de repente se reúnem no final do cais e dão início a uma improvisada, mas barulhenta roda de samba, envoltos na névoa e quase abafados pelo barulho da queda d’água. Esperávamos que a volta para casa fosse sonolenta e tranquila, de fato alguns de nós até cochilamos, mas a outra metade manteve o samba durante todo o caminho de casa. Ao final, à medida que deixávamos cada um em seu ponto de descida, o comentário de todos era um só: vamos voltar no ano que vem!