JORNAIS ANTERIORES

Dezembro 2018 / Número 25

Dezembro 2017 / Número 24

Setembro 2017 / Número 23

Novembro 2014 / Número 22

Setembro 2014 / Número 21

Fevereiro 2014 / Número 20

Agosto 2013 / Número 19

Junho 2013 / Número 18

Fevereiro 2013 / Número 17

Setembro 2012 / Número 16

Junho 2012 / Número 15

Outubro 2011 / Número 14 / ESPECIAL 10º ANIVERSÁRIO

Março 2005 / Número 01



Setembro 2012 / Número 16

Uma das ruas que dão acesso ao Sacatar, situado logo abaixo das palmeiras ao fundo © 2012, Mitch Loch

INSCRIÇÕES ABERTAS!

15 DE OUTUBRO DE 2012 É O ÚLTIMO DIA PARA ARTISTAS CONCORREREM ÀS BOLSAS DO SACATAR


O Instituto Sacatar tem o prazer de anunciar o início do período de inscrições para o UNESCO/Aschberg Bursaries for Artists Programme 2013. Três artistas serão premiados com bolsas para a sessão de residência que vai de 6 de maio até 1 de julho de 2013. Poderão concorrer somente artistas entre 25-35 anos nascidos e residentes na África, Ásia, Oriente Médio, Rússia, as antigas repúblicas soviéticas, Austrália, Nova Zelanda e as demais ilhas do Pacífico. As inscrições deverão ser feitas eletronicamente através do email unesco-aschberg@sacatar.org.

O prazo final de inscrição para o UNESCO/Aschberg Bursaries for Artists Programme 2013 para o Instituto Sacatar é 15 de outubro de 2012.  Maiores detalhes na página INSCRIÇÕES deste site.

      

Estão abertas também as inscrições para o Cultural Exchange International Program 2013 do Los Angeles Department of Cultural Affairs para o Instituto Sacatar. Duas bolsas serão oferecidas apenas a artistas residentes no Condado de Los Angeles. As inscrições deverão ser enviadas para o email LADCA@sacatar.org.

O último dia de inscrições para as bolsas em parceria com o Los Angeles Department of Cultural Affairs será 15 de outubro de 2012. Para maiores detalhes, acessar a página APPLICATION deste site.



SESSÃO DE JUNHO / JULHO DE 2012



Filmagem de vídeo com a participação de baianas © 2012, Claudia Joskowicz
CLAUDIA JOSKOWIVCZ (BOLÍVIA>EUA)
A vídeoartista boliviana Claudia Joskowicz, que também é professora nos EUA, veio ao Sacatar através de um prêmio-residência em parceria com a VideoBrasil e a Prince Claus Foundation. Ela chegou para trabalhar no roteiro de seu próximo projeto, mas os apelos da Bahia foram muito fortes. Ela terminou optando por criar um vídeo baseado na vida da lendária heroína Maria Felipa, uma negra itaparicana que lutou pela liberdade do Brasil. Reza a lenda que ela expulsou os soldados portugueses de Itaparica com chicotadas de galhos de cansanção. Entre os dias 27 de julho e 10 de agosto, a Fellow realizou a exposição Intesecciones na Galeria da Associação Cultural Brasil-Estados Unidos (ACBEU), Salvador, Bahia. A exposição foi composta por trabalhos anteriores à sua vinda ao Sacatar.


Grande angular, com Taylor Van Horne e Felipe Góes no Estúdio Mar © 2012, Antonio Mari

FELIPE GÓES (BRASIL)
Ao longo de sua estada no Sacatar, o pintor paulista Felipe Góes explorou as paisagens de Itaparica em referência ao compositor baiano Dorival Caymmi, contando com a colaboração de Marielson Carvalho, pesquisador, professor da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e escritor da biografiaAcontece que eu sou baiano: identidade e memória cultural no cancioneiro de Dorival Caymmi. O escritor veio ao Sacatar para compartilhar suas idéias com Felipe.


Instalação Site Specific feita em Itaparica © 2012, Ivan Juarez

IVAN JUAREZ (MÉXICO)
O escultor e arquiteto Ivan Juarez veio ao Sacatar e realizou intervenções ‘site-specific’, inspirado por suas descobertas na ilha de Itaparica. Durante a residência o Fellow conheceu o ateliê do artista Mario Cravo e fez uma palestra na Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Neste evento Ivan mostrou fotografias das intervenções efêmeras que criara no Sacatar.Metalocus é uma revista eletrônica espanhola onde ele publicou um relato sobre uma das intervenções:
http://www.metalocus.es/content/es/blog/baixa-mar-espelhos-do-céu


Jyoti Mistry durante filmagem com baianas © 2012, Alex Esquivel

JYOTI MISTRY (ÁFRICA DO SUL)
Jyoti Mistry tinha a intenção de trabalhar com a história da migração do jacarandá, uma árvore brasileira que domina as cidades sul-africanas mas que está quase extinto no seu berço genético, a Bahia. Entretanto, logo nos primeiros dias Jyoti decidiu mudar seu foco durante a residência, passando fazer vídeos –filmados em diversas localidades da ilha– com Iemanjá e Oxum como temas principais. A artista contou com a colaboração de baianas e dançarinas de Itaparica para a realização destes trabalhos. A pós o fim de sua residência, a Fellow se comprometeu em continuar o projeto original sobre os jacarandás, sonhando em enviar sementes ao Sacatar para que seja feito um novo plantio das árvores em solo baiano.


Edinha, D. Cici, Linda Yudin e D. Zelita © 2012, Felipe Góes

LINDA YUDIN (EUA)
Linda Yudin é coreógrafa e diretora da companhia de dança Viver Brasil, com sede na cidade de Los Angeles, Califórnia, EUA. A artista veio à Bahia após ter recebido um Fellowship do Sacatar em parceria com o Los Angeles Department of Cultural Affairs. Ao longo de sua estada, Linda entrevistou suas professoras de dança afro-brasileira –mães-de-santo com quem trabalha há 30 anos– com a intenção de gravar uma história oral da dança dos orixás.


Sigitas Staniunas durante sua performance com o grupo de capoeira União © 2012, Rafael Carvalho

SIGITAS STANIUNAS (LITUÂNIA)
O pintor lituano Sigitas Staniunas retornou ao Sacatar 10 anos após a sua primeira residência. Durante uma breve estadia de trinta dias, ele produziu 26 pinturas a óleo e quatro painéis em acrílico. Duas de suas pinturas foram criadas durante uma performance com capoeira e música ao vivo nas ruas de Itaparica. Ele também compartilhou seu trabalho em uma exposição na Biblioteca Juracy Magalhães Júnior, em Itaparica.



EM MEMÓRIA

No dia 18 de agosto de 2012 perdi a minha avó Benedita Vilaça, a mãe de santo dos humildes de Itaparica. Falar da minha avó me dá muito orgulho. Foi mãe e pai de muitos, inclusive de mim e minha família. Nunca ouvi falar de uma mãe de santo que acolheu tanta gente em sua casa. Eu mais cinco irmãos, após a morte da minha mãe, fomos para a roça de minha avó em Misericórdia. Eu tinha seis anos de idade. Ela simplesmente mandou buscar toda a minha família para morar com ela. Na roça já eram criados filhos, netos, parentes e até estranhos.  Minha avó, ela é muito especial. A casa chegava a ter mais ou menos trinta a quarenta pessoas e, em época de festa, o número de pessoas dobrava. Tenho um carinho muito grande por ela.  Foi mãe e avó. Me deu uma boa formação. A minha admiração é tamanha por ela por que ela tinha um coração muito grande. Não gostava de ver ninguém passando dificuldades. Ajudava a muitas famílias na Misericórdia. E o mais interessante, não fazia mal a ninguém. Sinto saudade das suas histórias, do seu modo de falar, de falar que só ela sabia. Da sua sabedoria e do seu amor por todos. Essa saudade vai ficar dentro de nossos corações. Te amo, avó.  Que Deus e os orixás lhe guardem por todos os dias.

Reginaldo Lima Roque

Vigia
Instituto Sacatar



AMIGOS DO SACATAR: ENTREVISTA COM OMARA SILVA CONCEIÇÃO

 

Omara e Fellows do grupo coreano R.ecnad. © 2012, Augusto Albuquerque

 

Projeção do filme “O Paletó” de KITSO LELLIOTT (BOTSWANA, 2012) sendo realizada na Oficina de Artes © 2012, Augusto Albuquerque



Omara Silvia Conceição é a idealizadora e mantenedora do centro cultural Oficina de Artes, sediado em Itaparica, além de ser amiga e parceira de longa data do Instituto Sacatar. Graças ao seu trabalho na Oficina de Artes, diversos cursos, palestras e workshops são oferecidos gratuitamente à população local. Aulas de capoeira e de Inglês são algumas das opções disponíveis atualmente para os Itaparicanos. Atualmente, Omara também atua como coordenadora de campanha do atual prefeito de Itaparica, o pastor evangélico Raimundo da Hora, que é candidato à reeleição.

Ao longo desta entrevista, Omara contará um pouco de sua relação com o Sacatar e seus Fellows, assim como abordará temas críticos para a cidade de Itaparica.

Omara, como e quando foi a sua primeira experiência de colaboração com o Sacatar?

Omara: Já vão uns dez anos. Com o grupo de teatro de jovens da Oficina. Foi uma experiência fantástica tanto para mim, quanto para os que participaram da atividade.

Como tem sido a relação da instituição à qual você representa com os artistas do Sacatar?

Omara: Para mim é uma relação maravilhosa e de muita importância para nossa associação. Nossas crianças e jovens e suas famílias são incrivelmente favorecidos e guardam lembranças e experiências para o resto de suas vidas.

Qual o momento que mais te marcou ao longo destes anos de parceria?

Omara: É muito difícil escolher apenas um, pois foram inúmeros momentos inesquecíveis. Porém, posso escolher dois muito mágicos e especiais: a peça infantil A Lua Perdida de Itaparica deMYRONN HARDY (EUA, 2002) e o espetáculo de dança Renascimento, de DANIEL GWIRTZMAN(EUA, 2003), apresentado no Teatro Gregório de Mattos em Salvador.

E qual tem sido a importância da parceria com o Sacatar para a Oficina de Artes?

Omara: Essa parceria tem feito crescer dentro dos jovens e crianças uma nova perspectiva de vida e os estimula a buscar um futuro de sucesso, além de revelar grandes talentos nas diversas áreas artístico-culturais trabalhadas nas oficinas.

Em sua opinião, o que representa para Itaparica ter uma instituição como o Sacatar com sede na cidade?

Omara: Representa a possibilidade de grandes intercâmbios culturais entre a comunidade e os artistas do Sacatar. Para Itaparica é muito valioso ter a presença do Sacatar, pelo fato desta instituição permitir e estimular a comunidade a contribuir e atuar com destaque na construção de diversos projetos bem como compartilhar seus saberes e fazeres com artistas de países desenvolvidos. Muitos jovens tiveram a oportunidade de aperfeiçoar seus talentos e outros de descobrirem suas aptidões artísticas. É, para mim, a certeza de que alguém pode lutar por um futuro diferenciado da maioria dos jovens que nascem, crescem e seguem o mesmo caminho dos pais, avós e outros parentes. Por viverem em uma terra onde não existe muita opção de trabalho, para muitos a educação acaba sendo colocada em segundo plano, pela necessidade de procurar formas imediatas de sustento. Ter contato com culturas diferentes e com pessoas que vivem e amam fazer arte é um grande estimulo para estes jovens pensarem e agirem de maneira diferente e mais positiva.

Do que mais precisa a comunidade de Itaparica, se é que ela precisa de algo?

Omara: De um centro cultural, que toda a comunidade possa utilizar nas mais diferentes áreas e modalidades artísticas e onde, também, possam ser realizados diversos espetáculos e ações que venham a gerar renda para os participantes.

E qual o papel da arte e da cultura para as atuais e as futuras lideranças de Itaparica?

Omara: Posso garantir que muito se fala em incentivo à cultura, mas defendo a necessidade de se construir um espaço reservado para a cultura e lazer.

Finalizando esta entrevista, qual deveria ser a relação ente a religião e a política em uma sociedade civilizada?

Omara: A política faz parte de quase tudo e a religião deve manter-se paralela sem interferir nas decisões políticas.

 



NOTÍCIAS DOS FELLOWS

A seguir uma pequena lista com notícias de nossos ex-Fellows. Lamentamos não poder incluir todas as novidades que recebemos dos ex-Fellows, mas estejam certos de que adoramos receber notícias de nossos artistas. Então, não parem de nos enviar as boas-novas.  As conquistas de todos aqueles que gostam do Sacatar sempre nos interessam. Continuem mantendo contato!

BARB CERVENKA (EUA, 2000)
Em 2000, a educadora e artista visual Barb Cervenka foi uma das “cobaias” que nos ajudaram a testar o Sacatar antes do início de nosso programa de residência. Sua organização Con/Vida recebeu financiamento do National Endowment for the Humanities para a exposição Bandits & Heroes, Poets & Saints: Popular Art from the Northeast of Brazil. Em 2013 a exposição vai abrir no Charles H. Wright Museum of African American History, em Detroit, Michigan, EUA. A exposição, que enfoca a rica herança dos povos africanos, europeus e indígenas no Brasil, vai mostrar gravuras, esculturas em madeira e pinturas de artistas do Nordeste do Brasil. O Michigan Council for the Humanities forneceu financiamento adicional para a exposição, que vai seguir para o DuSable Museum of African American History em Chicago, Illinois; a biblioteca Robert W. Woodruff do Atlanta University Center, Atlanta, Georgia, EUA; e para o International Civil Rights Center and Museum, em Greensboro, North Carolina, EUA.

CARLOS ESTEVEZ (CUBA>EUA, 2003)
Carlos exibe Memorabilia na galeria Panamerican Art Projects, em Miami, Florida, EUA, de 07 de Setembro até 03 de Novembro.


ERICA HARRIS
(EUA, 2007)

Erica anuncia a exposição beneficente Notions: Sewn Collages from India, Stuffed Toys and Other Crafts em apoio ao próximo projeto de intercâmbio com La Isla Foundation em Chichigalpa, Nicarágua:

Vernissage: Sábado, 7 de Setembro, das 18h às 21h, na boutique b. conte situada à North 9th Street, 167, Williamsburg, Brooklyn, 11211. Tel.: 718. 200. 0690. A exposição vai até 25 de Outubro.



FELIPE GÓES (BRASIL, 2012)

De 06 de setembro a 7 de outubro Felipe expõe no Museu de Arte da Goiânia, em Goiânia, Brasil, pinturas criadas durante a sua residência no Sacatar.


MAJA KLARIC
(Croácia, 2012)

Maja veio ao Sacatar através do UNESCO/Aschberg Bursaries for Artists Programme, mencionado no início deste jornal. Ela lançará no ano que vem um livro dos poemas que ele escreveu durante a sua residência em abril e maio deste ano, sob o título de Quinta Pitanga, a ser publicado pela editora mais renomada da Croácia.


OLEK (POLÔNIA>EUA, 2008)

De 20 de julho de 2012 até 3 de fevereiro de 2013 Olek realizará a exposição do seu trabalhoKnitting is for Pus**** durante a mostra 40 under 40, no Smithsonian American Art Museum, em Washington, DC, EUA. O jacaré na foto acima, Crocheted Jacaré, foi o presente que Olek ofereceu ao povo de São Paulo e que ela exibiu entre 19 e 29 de julho no SESC / Interlagos.Crocheted Jacaré é uma mistura multicultural: uma combinação de fios 100% acrílicos Red Heart de North Carolina, fitas brasileiras e um playground projetado por Márcia Maria Benevento.


PAT OLESZKO (EUA, 2008)

Entre 18 de fevereiro e 10 de março de 2013, Pat Oleszko será um dos Mestres Artistas que estarão em residência no Atlantic Center for the Arts, em New Smyrna Beach, Florida, EUA. Os interessados em colaborar com ela devem se inscrever até o dia 18 de novembro de 2012 no site www.aca.org. Maiores informações sobre ajudas de custo estão disponíveis no mesmo website.

RIK FREEMAN (EUA, 2011)
Ao sair da Bahia, Rik prometeu doar uma pintura em grande escala da lendária heroína Maria Felipa, que expulsou os portugueses da ilha de Itaparica à base de chicotadas com galhos de cansanção. Rik finalmente concluiu a pintura, que será reproduzida digitalmente na escala de 2,40m x 4,00m e instalada como um painel permanente no auditório da Biblioteca Juracy Magalhães Júnior, em Itaparica. A inauguração oficial será no dia 9 de novembro de 2012, data do aniversário de fundação da biblioteca.


SOOK JIN JO
(CORÉIA DOS SUL>EUA, 2001 e 2007)

Sook Jin participará de 31 de agosto até 07 de dezembro de 2012 da exposição coletiva Bridges Not Walls no Maier Museum of Art que fica no campus da Randolph College, em Lynchburg, Virginia, EUA.


STACEY STEERS (EUA, 2006)
A ex-Fellow exibirá Night Hunter House no Hood Museum of Art, no campus da Dartmouth College, Hanover, New Hampshire, EUA, de 25 de agosto a 16 de dezembro de 2012.

SUZART (BRASIL, 2000)
O artista visual Suzart foi, assim como BARB CERVENKA (EUA, 2000), uma das “cobaias” que nos ajudou a testar o Sacatar antes de iniciarmos nosso programa de residência artística. Entre os dias 8 de agosto e 23 de setembro estará com a exposição Sonhos e Recôncavo na Caixa Cultural em Salvador, Bahia, Brasil. No final do ano, a exposição seguirá para a Caixa Cultural de São Paulo.



O SACATAR NA CONFERÊNCIA GRANTMAKERS IN THE ARTS

A Sacatar Foundation, uma instituição norte-americana sem fins lucrativos, financia o Instituto Sacatar, em parceria com outras instituições brasileiras e internacionais. De 14 a 17 de outubro, Mitch Loch –presidente da Sacatar Foundation– participará da conferência Grantmakers in the Arts, em Miami, EUA. Nesta conferência ele manterá encontros com diretores e executivos de organizações que, assim como a Sacatar Foundation, apoiam artistas individuais e outros programas culturais.

Mitch também pretende visitar a galeria Panamerican Projects para ver as obras de CARLOS ESTEVEZ (CUBA>EUA, 2003), citado acima, e o novo programa de residência da Rauschenberg Foundation em desenvolvimento em Captiva, Florida.



Agradecemos a Fellow JANE COFFEY (EUA, 2001, 2004 e 2010), que nos enviou este link memorável que mostra por que a Bahia nos inspira. Confira: 
http://www.youtube.com/watch?v=GSf0mi34J7A&feature=share