JORNAIS ANTERIORES

Dezembro 2018 / Número 25

Dezembro 2017 / Número 24

Setembro 2017 / Número 23

Novembro 2014 / Número 22

Setembro 2014 / Número 21

Fevereiro 2014 / Número 20

Agosto 2013 / Número 19

Junho 2013 / Número 18

Fevereiro 2013 / Número 17

Setembro 2012 / Número 16

Junho 2012 / Número 15

Outubro 2011 / Número 14 / ESPECIAL 10º ANIVERSÁRIO

Março 2005 / Número 01



Setembro 2014 / Número 21


Residentes da sessão de agosto até setembro © 2014, Augusto Albuquerque


FELLOWS DE AGOSTO / SETEMBRO DE 2014


Esta é a nova turma de artistas residentes do Sacatar. Dentre eles três ex-residentes, que, após alguns anos estão retornando à Bahia: Ersi Sotiropoulos, escritora grega, que esteve conosco em 2006; Dany Leriche e Jean-Michel Fickinger, fotógrafos que em 2009 participaram do projeto Muitos Destinos uma Só Bahia, por época das comemorações do Ano da França no Brasil. Em contrapartida, três residentes inauguram novas parcerias com importantes instituições nacionais: Bel Falleiros, artista visual paulistana, que está participando do nosso programa após ser escolhida em edital aberto pelo CCSP –Centro Cultural São Paulo– Marielson Carvalho, escritor soteropolitano, selecionado num edital da Coordenação de Literatura da FUNCEB –Fundação Cultural do estado da Bahia– o artista visual equatoriano Anthony Arrobo, premiado através da 9ª edição da Bienal do Mercosul. Fechando o grupo, numa reedição da nossa parceria com a Associação Cultural VideoBrasil, estamos recebendo Basir Mahmood, videoartista premiado no 18ª Festival de Arte Contemporânea SESC_VideoBrasil. Esta nova turma de residentes assinala uma nova fase do Sacatar, que prossegue na constante busca por parceiros sérios, que desenvolvem programas de qualidade, que uma vez a nós associados, assegurem a manutenção do programa de residência.

 


Bakary Diallo © 2014

Lamentavelmente o grupo de residentes previsto para esta sessão não está completo. O vídeoartista malinês Bakary Diallo, que também participaria desta temporada no Sacatar através da parceria com a VideoBrasil, foi confirmado como uma das vítimas do acidente ocorrido no dia 24 de julho de 2014 com o voo AH5017 da Air Algérie, que caiu no norte de Mali. Vir para esta sessão de residência em Itaparica, Bahia, Brasil, era um dos sonhos de Bakary e todos da família Sacatar ficamos extremamente consternados com a notícia de seu trágico falecimento.

 



SACATAR CELEBRA NOVA PARCERIA


Estamos muito contentes por celebrar uma nova parceria como o Instituto Investidor Profissional, instituição carioca, que junto com o MAM-Rio, desenvolvem o prêmio PIPA.

O principal objetivo do PIPA desde sua criação, tem sido valorizar e divulgar os artistas e a arte contemporânea brasileira e eles o fazem através de mecanismos de premiação divididos em três categorias: PIPA, PIPA Voto Popular Exposição e o PIPA Online, que foi criado com a finalidade de aumentar a visibilidade do conjunto de artistas indicados, ampliando o foco para além dos finalistas.

Através do prêmio PIPA Online o Sacatar receberá o artista visual paulista, Paulo Nimer Pjota, que foi o vencedor da categoria e participará de uma das sessões do próximo ano. Saiba mais sobre o artista no link: http://www.pipa.org.br/pag/paulo-nimer-pjota/

 



FELLOWS DE MAIO / JULHO DE 2014


O Sacatar recebeu entre os meses de maio e julho de 2014 um grupo de seis residentes em sua sede na ilha de Itaparica. Durante a sessão, eles criaram diversos novos trabalhos e, na partida, levaram em suas bagagens várias experiências que marcarão também suas obras pós-residência. Abaixo a lista de residentes da sessão de maio / julho:

    


CÉCILE MARTIN, artista visual canadense, trabalhou basicamente com fotografia durante a residência. Em Itaparica, ela estudou o processo de mutação, buscou inspiração no mar e na luz. Um dos projetos que Cécile desenvolveu durante a estada no Sacatar entrou em exposição no mês de agosto de 2014.

 

CRISTINA MEGÍA, pintora natural de Granada, Espanha, conheceu o panorama pictórico da Bahia e de Itaparica, a pintura contemporânea e tradicional, assim como nosso imaginário coletivo. Ela criou diversos trabalhos com influência em suas experiências do dia-a-dia.

 

EUN JUNG CHOI (Coréia do Sul) e GUILLERMO ORTEGA (México) são coreógrafos residentes nos EUA, que vieram ao Sacatar através de parceria entre o Instituto e o Dance USA Philadelphia. Durante a sessão, Eun Jung e Guillermo realizaram filmagens para um vídeo de dança que será editado após a residência.

 

JONATHAN PFEFFER, compositor natural dos EUA, esteve no Sacatar buscando influência da música brasileira para suas obras. Ao longo da sessão, Jonathan trabalhou em parceria com o Conjunto de Câmara da Universidade Federal da Bahia (UFBA), o Camará Ensemble. Esta parceria resultou em novas peças como, por exemplo, “Gold to Lead”, que estreou no dia 24 de julho, no auditório da Escola de Música da UFBA, em Salvador, Bahia.

 

    

NIKI PASSATH, artista visual austríaco, criou obras de arte com base em observações do mundo ao seu redor. Ele utilizou recursos disponíveis, como ossos, cordão e galhos de aroeira para criar esculturas que faziam clara referência ao ambiente e ao contexto no qual ele se inseriu em Itaparica. Sua produção consitiu também de uma série de desenhos feitos com a ajuda de computador.

 


 

O SACATAR, OS FELLOWS DE MARÇO / MAIO DE 2014 E A 3ª BIENAL DA BAHIA

 

Em parceria com o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA) e a Fundação Hansen Bahia, o Instituto Sacatar trouxe 14 artistas e curadores participantes da 3ª Bienal da Bahia para a sessão de residência entre 17 de março e 12 de maio de 2014: dois permaneceram em Itaparica por oito semanas, um por sete semanas e os outros residentes tiveram estada com duração que variou de cinco a até vinte dias. Tais residentes trabalharam na produção de projetos para a 3ª Bienal da Bahia. O resultado de alguns destes projetos foi apresentado durante a abertura do evento.


Cortejo performático da residente Luisa Mota durante a abertura da 3ª Bienal da Bahia, com a produção da coreógrafa Nyrlin Seijas e a participação de 70 voluntários © 2014, Alex Esquivel

Artistas e curadores da Bienal que participaram da sessão:

CAMILA SPOSATI (Brasil)
Duração da residência: 17 de março até 07 de maio de 2014

CHARBEL-JOSEPH H. BOUTROS (Líbano)
Duração da residência: 17 de março até 12 de maio de 2014

EUSTÁQUIO NEVES (Brasil)
Duração da residência: 22 de março até 05 de abril de 2014

GISELLE BEIGUELMAN (Brasil)
Duração da residência: 07 até 12 de abril de 2014

GUSTAVO CARVALHO (Brasil)
Duração da residência: 17 até 31 de março de 2014

ÍCARO LIRA (Brasil)
Duração da residência: 28 de abril até 12 de maio de 2014

LISETTE LAGNADO (Congo > Brasil)
Duração da residência: 27 de abril até 12 de maio de 2014

LUIS BERRÍOS-NEGRÓN (Porto Rico > Alemanha)
Duração da residência: 01 até 12 de abril de 2014

LUISA MOTA (Portugal > Brasil)
Duração da residência: 10 até 26 de abril de 2014

MILENA TRAVASSOS (Brasil)
Duração da residência: 17 até 21 de março de 2014

OMAR SALOMÃO (Brasil)
Duração da residência: 17 de março até 12 de maio de 2014

PAULO NAZARETH (Brasil)
Duração da residência: 24 de abril até 03 de maio de 2014

RENAN VIEIRA ANDRADE (Brasil)
Duração da residência: 17 até 31 de março de 2014

RODRIGO MATHEUS (Brasil)
Duração da residência: 18 de abril até 12 de maio de 2014

Completando o grupo, a fotógrafa americana KAROLINA KARLIC (EUA), que veio ao Sacatar através de outra parceria do Instituto, desta vez com o Los Angeles Department of Cultural Affairs (LADCA).


COPA DO MUNDO DE 2014

 


Bósnia x Irã, na Arena Fonte Nova, em Salvador, Bahia © 2014, Alex Esquivel

 

Em 2014 a Copa do Mundo de futebol voltou ao Brasil, 64 anos após a sua primeira passagem pelo país. O Brasil esteve em festa, Salvador esteve em festa. Centenas de milhares de turistas vindos de todos os países que disputam o torneio invadiram as diversas cidades-sede dos jogos do mundial, dentre elas Salvador. Os pontos de encontro não poderiam ter sido outros: o Farol da Barra, o Pelourinho e, é claro, a recém-inaugurada Arena Fonte Nova, palco de algumas das melhores partidas da Copa.

Foi neste período especial que o Sacatar teve o prazer de receber mais um grupo de artistas em residência. Tivemos também a presença de Taylor Van Horne (Presidente do Instituto Sacatar) e Mitch Loch (Presidente da Sacatar Foundation) em Itaparica. Aproveitando a estada, Taylor e Mitch decidiram assistir in loco alguns jogos da Copa, um deles em Natal-RN: EUA 2 x 1 Gana. Era a estréia da seleção americana, impulsionada pelo pé quente dos fundadores do Sacatar! Eles ainda assistiram os jogos França 5 x 2 Suíça e Bósnia 3 x 1 Irã, na Fonte Nova, em Salvador.


ENCONTROS RECENTES DE FELLOWS

SÃO PAULO

O Instituto Sacatar é responsável pela vinda de artistas de todo o mundo para a Bahia, mas a maioria de nossos funcionários não tem condições financeiras de viajar para fora do estado. Há alguns anos, Taylor Van Horne –Presidente do Instituto Sacatar– e Mitch Loch –presidente da Sacatar Foundation– criaram o Prêmio Sacatar, que oferecem anualmente a um funcionário do Instituto escolhido através de sorteio. Taylor e Mitch levam este funcionário a algum lugar do Brasil que ele jamais tenha visitado. No mês de julho deste ano, o vigia Anderson foi premiado e se juntou aos fundadores do Sacatar para uma viagem a São Paulo. Foi a primeira vez que ele viajou de avião. A viagem teve direito a passagem aérea de ida e volta, hospedagem, refeições, ajuda de custo e passeio por diversos pontos turísticos da cidade. Durante a viagem à Terra da garoa, Dinho, como é mais conhecido no Sacatar, visitou alguns dos principais pontos turísticos e ainda teve tempo de acompanhar Taylor e Mitch à reunião de Fellows na casa da ex-residente ANA TEIXEIRA (Brasil, 2011). A festa contou com a presença de muitos dos ex-residentes do Sacatar que moram em São Paulo.

NOVA YORK

Com o apoio da ex-residente JANE COFFEY (EUA, 2001, 2004, 2010), os fundadores da Sacatar Foundation — Mitch Loch e Taylor Van Horne — convidaram todos os ex-residentes moradores da área para um piquenique no Prospect Park, no Brooklyn, Nova York, no último dia 09 de agosto. Vários residentes viajaram de cidades como Montreal e Filadélfia, incluindo artistas da primeira sessão de 2001 e alguns da sessão passada, de maio-julho de 2014.

JOANESBURGO


Jacki, Taylor, Kitso, Kris, Celia, Mitch e Ant em Joanesburgo, © 2014

As ex-residentes JACKI MCINNES (África do Sul, 2010), KITSO LELLIOT (Botswana> África do Sul, 2012) e CELIA DE VILLIERS (África do Sul, 2004) comemoraram o aniversário de Taylor em 05 de setembro de 2014, em Joanesburgo, África do Sul. Completando a festa estiveram presentes Mitch, Kris van’t Hof –da Royal Academy of Art em Antuérpia, Bélgica– e Ant, marido de Jacki.


NOTA DE FALECIMENTO

 

Faleceu no dia 26 de março, em San Francisco, a ex-residente do Sacatar ANNA VALENTINA MURCH (EUA, 2004), aos 65 anos, após uma batalha contra o câncer. Ana foi uma professora e artista conhecida por suas instalações que trouxeram beleza e luz aos espaços públicos impessoais.

Ultimamente, a Sra. Murch, que tinha grande interesse no som da água e do vento e na forma como a luz é refletida, trabalhava com o marido, o artista ambiental Doug Hollis, em seis grandes encomendas públicas. As encomendas incluem um trabalho para abrir este verão no novo centro de trauma do San Francisco General Hospital, onde a Sra. Murch criou peças lineares de assentos e iluminação para a praça e também em uma nova extensão de Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) cruzando o rio Willamette, em Oregon.

“Ela sempre foi atraída pela arte”, disse Hollis. “Ela era muito vibrante e, ao mesmo tempo, muito empática, o que fez dela uma grande professora. Ela foi uma inspiração para muitos alunos, ela tinha apenas uma incrível capacidade de investigação e de diálogo.”

Trabalho com projeções

Anna Murch nasceu na Escócia e cresceu em Londres. Ela tem formação acadêmica em artes pela University of Leicester e fez pós-graduação na Royal College of Art, em Londres. Em seguida, recebeu o diploma de graduação da Architectural Association, em Londres, onde ela fez um trabalho experimental com luz e projeção cinética em estruturas.

Mudou-se para a Bay Area em 1976 para fazer parte da cena vibrante da arte e teve um estúdio de trabalho ao vivo no Project Artaud. Ela começou a ensinar no San Francisco Art Institute e depois na UC Berkeley e no Mills College, onde ela foi professora titular.

Um de seus projetos mais conhecidos foi feito em um centro de artes permorfáticas em Miami, onde ela ajudou a criar uma praça pública em formato oval, com cascatas inclinadas que tem uma superfície ondulada e em constante mudança.

“Ela criou um oásis em espaços urbanos”, afirmou Hollis. “Um lugar para ser mais contemplativo, para envolver as pessoas de uma forma multisensorial.”


NOTÍCIAS DE NOSSOS FELLOWS

 

Segue uma pequena amostra da diversidade de atividades desenvolvidas pelos artistas que já passaram pelo Sacatar, que inclui alguns projetos iniciados durante as suas residências. Lamentamos não poder publicar todas as notícias, mas gostamos de saber das novidades de nossos ex-Fellows. Não deixem de manter contato! Clique no nome dos residentes abaixo para acessar suas páginas ALUMNI em nosso site, onde você encontrará depoimentos sobre as suas experiências no Sacatar.

 

ALICE MICELI (Brasil, 2011) faz parte da exposição do Prêmio Pipa no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro com uma série de imagens fotografadas recentemente no interior do Camboja, explorando o espaço de campos-minados. A exposição fica em cartaz de 06 de setembro até 16 de novembro de 2014.

CHRIS BURRILL (EUA, 2002) casou-se com Bernadette Grosjean no último dia 02 de Agosto, na propriedade rural delas no estado de Nova Iorque. Mitch Loch e Taylor Van Horne tiveram a honra de comparecer à cerimônia.

CLAUDIA JOSKOWICZ (Bolívia > EUA, 2012) está atualmente em residência na Cité des Arts em Paris, França. Seu vídeo Vallegrande, 1967, foi recentemente adquirido pelo Museu Guggenheim em Nova York para fazer parte de sua coleção e será exibido de 12 de julho até 05 de agosto no New Media Theater do museu, como parte da exposição Under the Same Sun: Art from Latin America Today. A exposição América Latina 1960-2013 viajou da Fondation Cartier ao Museo Amparo, em Puebla, México, e poderá ser vista até 29 de setembro. Ainda sobre Claudia, o seu novo filme, Los rastreadores, estreou na Cisneros Fontanals Art Foundation (CIFO), em Miami, no dia 05 de setembro.

DEREK BERMEL (EUA, 2007) foi nomeado diretor artístico da American Composers Orchestra. No dia 04 de abril, a soprano brasileira Luciana Souza cantou um ciclo de composições de Derek, intitulado Mar de Setembro, com a American Composers Orchestra na Zankel Hall (Carnegie Hall, em Nova York, EUA). A peça é baseada na poesia sensual do grande poeta Português Eugénio de Andrade.

EDUARDO KAC (Brasil > EUA, 2002) vai expor Aromapoetry na exposição Sensing the Future no Bauhaus Archiv Museum für Gestaltung, em Berlim, de 07 de outubro de 2014 até 12 de Janeiro de 2015. Aromapoetry consiste inteiramente de composições olfativas criadas pelo artista. O Victoria and Albert Museum / Londres, o Spencer Art Museum / Kansas e o Museu de Arte do Rio / Brasil recentemente adquiriram obras de Kac.

GERALD CYRUS (EUA, 2002 e 2011) expôs na Allens Lane Art Center, na Philadelphia, de 04 a 25 de Abril, a série de retratos feita em Itaparica durante suas duas residências no Sacatar.

J MICHAEL WALKER (EUA, 2011) diz “Há três anos eu fui abençoado e honrado por ter sido premiado com uma residência da Fundação Sacatar, na Bahia, Brasil. Eu fiquei profundamente comovido com as experiências que tive – a calorosa comunidade, a rica mistura cultural, a espiritualidade palpável – e elas têm permeado continuamente o meu trabalho desde então.” Como prova dessa afirmação, ele exibiu sua mais nova (e maior) peça, recém-terminada, sobre a Bahía – Spirit-led, Spirit-fed in Bahía: an Autobiographical Landscape – na Avenue 50 Studio, em Los Angeles, Califórnia, EUA, de 14 junho até 05 julho de 2014. www.avenue50studio.org

JOSEPH CAVALIERI (EUA, 2011) exibe um vitral de Jackie Onassis durante a Biennial of the Museum of Arts and Design, em Nova York, até 12 de Outubro de 2014. Este trabalho faz parte de uma exposição coletiva composta por artesãos, artistas e designers que vivem em Nova York.

JYOTI MISTRY (África do Sul, 2012) é a diretora de Impunity, o único filme africano a ser exibido no Toronto International Film Festival, de 05 até 12 de setembro de 2014. Impunity é um thriller noir pós-apartheid, uma crítica incisiva de uma “nação arco-íris” com um senso moral que deu errado. Clique no link para assistir o trailer: https://www.youtube.com/watch?v=xg0UZO1gVjY

KAROLINA KARLIC (Polónia>EUA, 2014) foi uma das residentes na sessão de março-maio de 2014 Em sua passagem pelo Brasil, ela trabalhou em documentário sobre a “Fordlândia”, a plantação de seringueiras de Henry Ford na floresta amazônica, e visitou a plantação de seringueiras na reserva da Michelin, em Ituberá, na Bahia. “Meu interesse em realizar o trabalho no Brasil começou com a minha pesquisa sobre as plantações de borracha de Henry Ford na floresta amazônica. Quando me deparei com um determinado conjunto de fotografias encontradas nos arquivos, elas se tornaram a minha inspiração. As fotografias retratam funcionários e familiares (no que se assemelha a um álbum de fotos de família) que foram enviados de Michigan para a floresta, designados para supervisionar a ambiciosa implementação de produção de borracha dos EUA no Brasil. Fiquei interessada nos espaços entre estes dois continentes e nos espaços ocupados pelas plantações de borracha.”

Acesse o link a seguir para assistir ao trailler de RUBBERLANDS, o documentário filmado por Karolina no Brasil durante e após a residência no Sacatar: http://www.karolinakarlic.com

LINDA FRANKE (Alemanha, 2013) concluiu recentemente um encantador filme experimental que capta as emoções conflitantes que uma residência Sacatar muitas vezes desperta em artistas. Por favor, tire um tempo para apreciá-lo e nos envie os seus comentários! http://vimeo.com/93303213

LINDA YUDIN (EUA, 2012) e sua companhia de dança Viver Brasil continuam desfrutando de uma parceria com o Ford Amphitheatre, em Los Angeles, Califórnia, EUA. No dia 06 de setembro, a partir das 10h, a companhia celebrou a Independência do Brasil. “Permita que nossas fantasias coloridas e nossos movimentos exuberantes da Viver Brasil leve você e sua família ao Brasil com a estréia de Cozinhando Samba [Cooking Samba], na qual vocalistas se tornam parte da ação e músicos levam a polirritmia a novas alturas!”

MARISTELA RIBEIRO (Brasil, 2007) concluiu recentemente um projeto de dois anos, Casas do Sertão. Trabalhando com a comunidade de Morrinhos (400 habitantes), no remoto sertão do estado da Bahia, Maristela organizou uma grande variedade de atividades na comunidade (veja os links abaixo), incluindo a instalação de foto-murais em casas na aldeia (veja foto acima).
https://www.facebook.com/maristela.ribeiro.1293
https://www.facebook.com/pages/Projeto-Casas-do-Sert%C3%A3o/246522845519712 http://maristelaribeiro.blogspot.com.br/

 

MARK STEVEN GREENFIELD (EUA, 2013) estará com a retrospectiva de seus trabalhos de 1974 a 2014 em exposição no Cailfornia African American Museum em Los Angeles, Califórnia, EUA. Intitulada Lookin’ Back in Front of Me, a exposição vai de 28 de setembro de 2014 até 5 de abril de 2015 e inclui várias obras criadas por Mark durante a residêncoa no Sacatar.

MATT SHERIDAN (EUA, 2012) retornou à Bahia no início deste ano e criou, em 30 de abril, uma instalação com vídeo de animação em cinco canais de pintura em movimento intitulado Contours of Belief / Contornos da Crença no pátio central da Biblioteca Publica do Estado da Bahia / Barris, a principal biblioteca de Salvador. Apesar de uma greve da Polícia Militar, da ameaça permanente de chuva, problemas de saúde e uma morte na família de um membro da equipe, o projeto foi apresentado com êxito. A equipe de Matt Sheridan – que ele conheceu enquanto estava em residência no Sacatar – era composta por Andrea May (curadora), Juninho Costa (designer de áudio ao vivo), Ana Paula Bringel (pesquisadora) e Erica Telles (diretora técnica). Contours of Belief foi financiado por uma bolsa de 2013 da SECULT – Secretaria de Cultura da Bahia – para trabalho audiovisual. A documentação do projeto pode ser encontrada nos seguintes sites:
http://vimeo.com/96453094www.msheridanstudio.com
http://contornosdacrenca.blogspot.com.br

 

MAYA WATANABE (Peru>Espanha, 2012) projetou a sua video instalação, The Pendulum, no Matadero, em Madri, em Março. A video instalação utiliza os textos sagrados das três principais religiões monoteístas como ponto de partida para questionar como narramos nossas identidades. Maya editou esse video enquanto participava da residência no Sacatar.

 

MIMI CHERONO NG’OK (Quênia, 2013) participa, com outros dois fotógrafos, da exposição Peregrinar no Goethe Institut de Joanesburgo, África do Sul, até 19 de setembro de 2014.

 

NDIKHUMBULE NGQINAMBI (África do Sul, 2010) exibiu True Colours até 10 de julho de 2014, na Barnard Gallery, na Cidade do Cabo, África do Sul: “Um dos emblemas mais semanticamente carregados da história, a bandeira denota identidade, pertencimento, unidade e força. Mas é também um sinal para um veículo ou motorista tomar cuidado, diminuir ou parar. Usando a bandeira como seu fulcro temático, usando como pano de fundo narrativas voláteis de opressão e libertação, Ngqinambi explora, interroga e ilustra os motivos que levam governos a içar a bandeira para fins cínicos.”
http://barnardgallery.com/exhibitions/ndikhumbule-ngqinambi/

 

REYNOLD REYNOLDS (EUA, 2006) tem uma retrospectiva de sua obra, Reynold Reynolds: Six or Seven Pieces, na Kunstpalais Erlangen, na Alemanha, de 19 de setembro a 16 de Novembro. A exposição inclui catorze obras de Reynold, incluindo a instalação em sete canais de The Lost e seu mais novo trabalho One Part Seven, que ele criou em 2014 durante a sua residência na American Academy, em Roma. Além disso, de setembro a dezembro deste ano, Reynold será artista residente da University of Michigan, EUA, através da Roman J. Witts Residency.

Uma Canção para Pelo © 2013, Rik Freeman

RIK FREEMAN (EUA, 2011) tem a obra Samba na Praia partipando da exposição coletiva Bader Exhibit, no Katzen Center, American University. O Bader Fund é um Fellowship concedido a artistas de 40 anos ou mais do Distrito de Columbia, EUA (Rik Freeman é um dos 7 artistas premiados de Washington, DC, EUA). A mostra apresenta esses artistas ao longo dos treze anos de história do Bader Fund. As obras Uma Canção para Pelo e Frutos do Mar fazem parte da exposição East of the River, na Honfluer Gallery. Todas as três peças foram pintadas com inspiração em experiências de Rik em Itaparica, Bahia, Brasil, durante a sessão de residência no Sacatar.

SOOK JIN JO (Coréia do Sul > EUA, 2001 e 2007) está com a exposição Crossroads no ARC, Gangjeong, Coreia do Sul, até 28 de setembro, como parte do 2014 Daegu Contemporary Art Festival.

SOPHIE LECOMTE (França, 2004) recentemente ilustrou Martin Kœurpane du Haut, a tradução francesa do clássico eslovêno escrito por Fran Levstik.

 

YOKO INOUE (Japão > EUA, 2011) vai expor o registro documental da performance interativa por ela realizada durante sua estada em Itaparica. A exposição Crossing Brooklyn: Art from Bushwick, Bed-Stuy, and Beyond apresentará trabalhos de trinta e cinco artistas individuais ou em grupo estabelecidos no bairro do Brooklyn, Nova York, EUA, enfatizando as ações artísticas engajadas cujos impactos transbordam museus e galerias. Yoko vai expor o registro do seu projeto intitulado Nós, uma corrente de retalhos, criada numa praça do centro de Itaparica, através da troca de pedaços de roupas das pessoas por bolas de sorvete. A exposição ficará em cartaz de 03 de Outubro de 2014 até 04 de Janeiro de 2015 no Brooklyn Museum of Art em Nova York.

YUMI KORI (Japão, 2008) está entre os quinze artistas que fazem parte da exposição Bringing the World Into the World, até 12 de outubro no Queens Museum, New York City Building, Flushing Meadows-Corona Park, Queens, New York, U.S.A.: queensmuseum.org. Abaixo o link para crítica da exposição no New York Times, na qual se vê uma foto do trabalho de Yumi:
http://www.nytimes.com/2014/06/20/arts/design/bringing-the-world-into-the-world-at-the-queens-museum.html?_r=0

Em Março, Yumi celebrou a publicação do seu livro Discovering Comfort Home, 200 Ideas on House Design, publicado em Inglês e Japonês. Você pode acessar o livro em http://www.amazon.co.jp/gp/product/images/4767814995


“A experiência no Instituto Sacatar se inscreve na minha trajetória profissional como um dos momentos mais felizes de minha vida: simplicidade e luxo, beleza e intensidade, um equilíbrio perfeito entre concentração, reflexão e relaxamento profundo.” — LISETTE LAGNADO (Congo > Brasil, 2014)