Coisas a saber.

Posso trazer meu companheiro, família ou filhos?
Seu cônjuge, parceiro (a), amigo (a), pais ou filhos podem querer juntar-se a você durante sua estada, integral ou, parcialmente. Contudo, nós não temos como acolher sua família ou amigos no Instituto e desencorajamos veementemente que você os tenha consigo, ainda que hospedados em outro lugar. Tais visitantes destoam do propósito do Instituto Sacatar, que é oferecer sessões de residências que permitam aos artistas mergulhar no processo criativo fora do seu contexto doméstico cotidiano. Por favor programe tais visitas para quando sua sessão estiver encerrada.

Posso trazer meu animal de estimação?
A exceção dos cães-guias, os residentes não podem ter seus animais consigo.

Os artistas recebem alguma ajuda de custo para suas despesas ou materiais?
Os residentes não recebem tais quantias da parte do Sacatar, a não ser que esse fato seja programado por alguma instituição parceira. Muitos artistas, uma vez selecionados, buscam algum apoio financeiro extra. Os artistas são responsáveis por todas as suas eventuais despesas e materiais de trabalho. Um membro da equipe do Sacatar busca os artistas no aeroporto no primeiro dia da sessão de residência e os traz para a ilha de Itaparica pela primeira vez, mas uma vez na ilha os artistas tornam-se responsáveis pelos seus deslocamentos locais.

De quanto dinheiro precisarei durante minha residência?
A grosso modo o custo de vida no Brasil é aproximadamente metade ou dois terços do custo de vida na Europa ou Estados Unidos, salvo algumas exceções. Materiais artísticos e eletrônicos, por exemplo, podem custar mais caro no Brasil. O Manual de Residência inclui informações sobre o custo de materiais artísticos, restaurantes, transporte local, etc. Ex residentes geralmente recomendam que artistas tragam o equivalente a dois mil Reais (moeda brasileira) para despesas diversas durante a sessão de oito semanas.

Vocês podem recepcionar portadores de necessidades especiais?
Já recepcionamos, com êxito, artistas deficientes auditivos, paraplégicos e tetraplégicos . A propriedade é plana e a casa principal tem largos corredores e portas; contudo, as cidades de Itaparica e Salvador não são muito bem adaptadas para cadeirantes. Nós programamos a vinda de cadeirantes para as sessões que ocorrem nas estações menos chuvosas do ano (Agosto a Março). Alguns artistas portadores de necessidades especiais podem necessitar de um cuidador ou acompanhante. Nesses casos, o artista deve indicar suas necessidades especiais e assumir as despesas relativas ao deslocamento do seu cuidador, bem como suas eventuais despesas. O Sacatar disponibilizará uma suite com duas camas e as refeições para o artista e seu cuidador.

Há um limite de idade?
Não há nenhuma limitação etária. Até hoje o residente mais jovem a vir para o Sacatar tinha 21 anos de idade; o mais velho, 83. A média de idade dos residentes é de 40 anos. Contudo, diante do alto nível competitivo do processo seletivo, dificilmente, um artista iniciante, com menos de 20 anos, será selecionado.

Quais idiomas são utilizados na residência?
O Inglês, normalmente, mas nem sempre, é a língua comum entre os residentes. Contudo, não não é imprescindível falar esse idioma para inscrever-se. Considere que poucos brasileiros comunicam-se em Inglês. O Sacatar tem uma equipe de dez pessoas, das quais apenas um fala Inglês. A grande maioria dos ex residentes recomenda que os futuros residentes aprendam o máximo possível de Português antes de sua vinda. Às vezes os residentes partilham aulas de Português quando chegam à ilha.

Existem chances de partilhar minhas habilidades e conhecimentos com a comunidade local?
A despeito do objetivo do sacatar ser oferecer a indivíduos criativos tempo e espaço propícios ao desenvolvimento de novos trabalhos, muitos participantes chegam sedentos por partilhar seus conhecimentos e obras não apenas entre si, mas também com a comunidade local. A equipe do Sacatar pode atender a essas demandas, auxiliando os artistas a estabelecer contatos e alcançar seus objetivos. Para tanto, na medida do possível, buscamos contatar teatros, galerias, salas de aula, etc., tanto em Salvador, quanto em Itaparica e tentamos arranjar colaboradores, músicos, estudantes, atores e outros voluntários para fazer acontecer os projetos propostos. Os padrões de remuneração na ilha não são altos e alguns artistas contratam auxiliares por diárias (em torno de US$15,00 por dia de trabalhos simples. Tarefas, que exigem habilidades mais específicas como traduções, câmeras, etc. custam, naturalmente, um pouco mais).

Que tipo de equipamento eletrônico vocês disponibilizam aos artistas?
Devido à localização à beira mar da sede do Sacatar, disponibilizamos muito poucos equipamentos eletrônicos. Não disponibilizamos computadores, projetores, impressoras ou aparelhos de som para o uso dos artistas. Os artistas devem trazer tais equipamentos se deles precisar.

A internet funciona bem?
O acesso a internet nem sempre é estável. Até que haja um significativo avanço na infraestrutura da cidade de Itaparica, não há nada mais que possamos fazer para melhorar a conectividade pela internet. aconselhamos os artistas a prepararem-se para lidar com uma conectividade limitada, evitando assim eventuais frustrações.

A ilha é um local calmo e pacífico?
O Sacatar está situado numa propriedade de 9.000m2, à beira mar, em um bairro de casas de veraneio, sazonalmente habitada. As ruas do entorno não têm pavimentação. Durante a maior parte do ano a atmosfera é muito quieta e serena. contudo, principalmente durante a alta estação turística (Dezembro-Fevereiro), não temos como controlar as pessoas que alugam casas na vizinhança. alguns desses inquilinos fazem longas festas com som alto, sem se importarem com seus vizinhos. Festas populares que ocorrem no Brasil, principalmente entre Dezembro e Fevereiro também têm altos volumes de som. Às vezes uma festa acontecendo a alguns quilômetros podem soar como se estivesse apenas do outro lado da rua. Além disso a maioria das casas da vizinhança têm cães de guarda. Esses cachorros, habitualmente, latem para os passantes e durante a época das festas pode haver muitos passante para provocar seus latidos! Nada podemos fazer quanto aos latidos dos cães ou canto dos pássaros e, infelizmente, há muito pouco que possamos fazer também, contra os vizinho barulhentos em férias.

A ilha é segura?
A ilha de Itaparica é paradisíaca, mas mesmo no Paraíso, há serpentes: delitos de pequena monta. Aconselhamos os residentes a utilizarem as mesmas lições aprendidas por quem vive em qualquer grande centro urbano, por exemplo não exibir suas câmeras ou filmadoras ostensivamente, portar apenas as quantias necessárias, principalmente quando estiverem transitando pelas áreas menos habitadas da ilha.  Episódios esporádicos dessa natureza já ocorreram, resultando na perda de dinheiro, câmeras ou celulares.

Como são os dias no Sacatar?
Os residentes são livres para estruturas seus dias como lhes convém. Café da manhã, almoço e jantar são servidos em horários pré-estabelecidos, com os quais cada artista interage da maneira que lhe aprouver. Em função das contrastantes marés, testemunhadas bem em frente da propriedade, os ciclos da lua começam a “regular” os dias dois artistas. Nadar sempre é melhor nas marés altas e de quinze em quinze dias as marés muito baixas podem, por poucas horas, restringir um dos meios de transporte para o continente. A maioria dos artistas limita o número de vezes que vão a Salvador no continente; Para se chegar aos terminais marítimos leva-se de 20 a 60 minutos (dependendo do transporte escolhido) e de 40 a 50 minutos para cruzar a baía. Contudo, o centro-histórico de Itaparica está na curta distância de uma caminhada e lá há numerosos bares e restaurantes com vista para o mar. A vida na ilha de Itaparica é muito pacata e certamente desacelera o ritmo do dia a dia.

E quanto a animais silvestres (e mosquitos)?
Os artistas dividem a propriedade com três cachorros, três pavões, dois cágados e animais silvestres diversos, incluindo mosquitos, formigas, caranguejos, morcegos, pássaros, lagartos e pequeninos sapos, que podem entrar nas casas e estúdios. O pavão costuma se exibir no pátio, pássaros vasculham a cozinha em busca de migalhas de pão, morcegos desorientados voam pela sala de estar à noite e, às vezes, pequenas rãs entram nos banheiros. Essas coisas acontecem. Não há muito o que fazer para controlar a entrada e saída desses animais. Contudo, mantemos os cachorros fora da casa durante as refeições e temos mosquiteiros em todas as camas. No Sacatar você poderá viver mais próximo a diferentes espécies animais do que você está acostumado.

Devo adotar precauções médicas antes de viajar para o Brasil?
Atualmente não é necessário nenhum tipo de vacinação especial para viajar para a Bahia. sempre é aconselhável uma vacina contra tétano. O Center of Disease Control mantém informações atuais sobre epidemias e riscos à saúde no Brasil.Link: www.cdc.gov. Recomendamos, contudo, que você providencie, por conta própria, um seguro de saúde adequado.

Há cursos a fazer: Português, percussão, capoeira, samba?
Se lhe interessar estudar Português, capoeira, percussão ou dança, procure a Administração. O Instituto não patrocina tais aulas, mas o preço de aula, mesmo a particular, é muito acessível. Sugerimos que os residentes formem turmas para aulas de seu mútuo interesse. Podemos indicar também outros tipos de prestação de serviço.

Precisarei de um carro durante minha estada no Sacatar?
Não necessariamente. A quase absoluta maioria dos nossos residentes não utilizou carros próprios ou alugados durante suas participações no programa. Há um sistema de transporte, relativamente, eficiente na ilha e há um grande número de motoristas de taxis, que podem ser uma boa alternativa para as necessidades de deslocamento durante a sessão. O Sacatar indica contatos de alguns taxistas, que apesar de não terem vínculos conosco, prestam bons serviços, por preços justos. Não há locadoras de veículos na ilha de Itaparica.

Há uma academia ou outros equipamentos para exercícios na vizinhança?
Em Itaparica há duas modestas academias de ginástica, onde você, mediante uma pequena mensalidade pode utilizar aparelhos de musculação e fazer aulas de aeróbica. Também é possível fazer aulas de Capoeira em academias ou particulares. Além disso o Sacatar disponibiliza bicicletas, que tanto servem para os deslocamentos curtos, como também para exercícios, dois caiaques para remadas pelas tranquilas águas das imediações, e a magnífica possibilidade de nadar nas águas mornas e calmas da praia diante da qual está a sede do instituto.

A infraestrutura do Instituto pode ser alugada?
Durante o período em que acontecem as sessões de residência, não. Contudo, estamos abertos a escutar propostas de ocupação para os períodos vacantes, mas sem garantias prévias de aceitação.

O artista pode pagar pela sua participação?
Normalmente, não. Mas o podemos avaliar, caso a caso, propostas de financiamento institucional ou governamental.

Ex-residentes podem reinscrever-se na no processo seletivo do Sacatar?
Não. Os ex-residentes que desejarem retornar ao Sacatar deverão custear seu transporte aéreo e expor em um pequeno texto as razões pelas quais desejam voltar. Estamos estudando contudo, uma proposta de intercâmbio com outras residências, através da qual o Sacatar indicará ex-residentes seus para participar em outras residências e vice-versa.

Posso visitar o Instituto?
Sim, mas as visitas devem ser previamente agendadas pelo telefone 55 71 3631 1834 ou através do e-mail info@sacatar.org. As visitas deverão ser programadas para acontecer de segunda a sexta das 08:00 às 12:00 ou das 13:00 às 17:00. Durante as sessões de residência, por respeito ao espaço dos residentes, há uma restrição de acesso aos estúdios ocupados. Podemos, caso necessite, passar informações que facilitem a sua chegada ao Sacatar.